Coronavírus

“Até final do ano todos estarão vacinados em Maringá”, diz Ulisses Maia

Em entrevista, chefe do Executivo confirma publicação de novo decreto nesta quarta-feira (26) e garante que todos serão vacinados em Maringá até o fim de 2021

Wilame
Wilame Prado / Repórter
“Até final do ano todos estarão vacinados em Maringá”, diz Ulisses Maia
Em decretos passados, até o Parque do Ingá precisou ser interdidato para evitar aglomeração de pessoas. (FOTO: Aldemir de Moraes / Prefeitura de Maringá)

26 de maio de 2021 - 12:47 - Atualizado em 26 de maio de 2021 - 12:48

“Até final do ano todos estarão vacinados em Maringá, disse o prefeito Ulisses Maia em entrevista concedida para a RIC Record TV Maringá nesta quarta-feira (26). Um dos assuntos da entrevista foi o novo decreto que o Município publicará ainda hoje em Maringá, com medidas mais rígidas de restrição para almejar controlar os casos de covid-19 que estão lotando os hospitais da cidade.

O decreto municipal seguirá os moldes do decreto estadual publicado na terça-feira (25) e que define toque de recolher mais rígido, das 20h às 5h. “Nossas medidas serão rígidas, especialmente aos fins de semana. Domingo, nada vai abrir em Maringá, com exceção dos serviços essenciais”, comentou Maia.

O prefeito fez um apelo para todos os prefeitos de toda a região Noroeste do Paraná, pedindo para que decretem medidas mais restritivas, pois os números de covid-19 estão voltando a aumentar, e muitos positivados acabam precisando da rede pública de saúde em Maringá para tratamentos e internações.

“Infelizmente, a ocupação de 100% dos leitos de UTI é algo que nos preocupa muito em Maringá. Vamos continuar combatendo as aglomerações com muita fiscalização”, afirma.

Decreto paranaense

Em razão do aumento do contágio da Covid-19 no Paraná e da maior taxa de transmissão do País, o Governo do Estado publicou o decreto 7.716/21, que amplia ainda mais as medidas restritivas para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

As novas regras começam a vigorar às 5h da próxima sexta-feira (28) e valem até as 5h do dia 11 de junho. Medidas mais rígidas adotadas pelos municípios terão apoio da administração estadual. O texto anterior, e ainda em vigor, venceria no dia 31 de maio.

Também haverá reforço operacional das forças de segurança, em apoio às vigilâncias municipais da saúde, para coibir festas clandestinas, aglomerações e eventos. Por orientação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, a Secretaria de Estado da Segurança Pública efetivará o cumprimento integral do decreto e das normativas municipais.

As medidas preveem restrição da circulação de pessoas e de venda e consumo de bebida alcoólica em espaços de uso público ou coletivo depois das 20 horas. O toque de recolher e a lei seca atual vigoram das 22h até as 5h do dia seguinte.

Comércio e atividades não essenciais seguem proibidas de funcionar aos domingos. Isso se aplica a restaurantes, shopping centers e academias. Nos outros dias da semana, o comércio de rua, galerias, centros comerciais e estabelecimentos de prestação de serviços não essenciais em municípios com mais de 50 mil habitantes poderão abrir ao público das 9h às 18h, com 50% de ocupação (o texto anterior era das 10h às 22h). Aos domingos e fora desses horários, durante a semana, só será permitido o atendimento na modalidade delivery.

Os shoppings, que até então podiam funcionar das 11h às 22h, devem abrir até as 20h, com 50% da ocupação. Os supermercados, que não tinham limite de horário, poderão atender das 8h às 20h, com 50% de ocupação, com permissão de funcionarem 24 horas somente para entregas. As academias podem funcionar das 6h às 20h, com até 30% da ocupação.

O horário de funcionamento de restaurantes, bares e lanchonetes será das 10h às 20h, com 50% do público, podendo atender 24 horas na modalidade de entrega. Fica vedado o consumo no local nos domingos, mas com o delivery permitido. Os museus também poderão abrir das 10h às 20h, com limitação de 50% do público. 

Serviços e atividades essenciais, como farmácias e clínicas médicas, não terão que atender as regras de toque de recolher e de funcionamento. Os serviços considerados essenciais estão especificados no decreto 4.317, de 21 de março de 2020

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.