Coronavírus

Araucária não irá adotar medidas restritivas do decreto estadual

Araucária permanecerá com comércio aberto normalmente. Até casas de festas e eventos podem funcionar, dentro das regras sanitárias.

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da RIC Record TV
Araucária não irá adotar medidas restritivas do decreto estadual

26 de fevereiro de 2021 - 20:23 - Atualizado em 26 de fevereiro de 2021 - 20:24

A prefeitura de Araucária, município da região metropolitana de Curitiba, informou, na tarde desta sexta-feira (26), que não irá seguir o decreto estadual, anunciado hoje pelo governador Ratinho Júnior. Conforme a administração municipal, a cidade já tem medidas suficientes para o controle da pandemia.

A prefeitura explicou à equipe de produção da RIC Record TV que a cidade tem índices muito baixos de óbitos, está em 1,2% do total de casos confirmados. O número está bem abaixo do índice de óbitos registrados no Paraná, que está em 1,8%. Apesar de Araucária possuir medidas restritivas, o comércio, por exemplo, continua funcionando. Casas de festas e eventos também têm o funcionamento permitido.

Apesar disto, a administração municipal não tira dos moradores da cidade a responsabilidade de manter o protocolo sanitário.

Veja na íntegra a nota da prefeitura de Araucária:

A Prefeitura de Araucária informa que, nesta sexta-feira (26), publicou o decreto nº 35.644/2021, que prorroga (até 12 de março) a série de medidas de enfrentamento à Covid-19 que ocorrem no município. Cabe ressaltar que Araucária vem trabalhando forte para evitar novos casos de infecção e também para atender àqueles que precisem da estrutura pública de saúde. Trata-se de um município elogiado regionalmente pela forma como vem desenvolvendo as ações de saúde neste momento. É um dos municípios que mais realiza testagem de pessoas com sintomas de Covid-19 e a vacinação dos grupos previstos pelo Ministério da Saúde está ocorrendo dentro do programado. 

O índice de letalidade (a relação de óbitos e o total de casos) no município é de 1,2%; bem menor que o do Estado do Paraná (1,8%) e incomparável com locais onde a situação se mostrou crítica: Amazonas (cerca de 3% de letalidade) e na Itália (cerca de 5%). Isso mostra que já temos medidas restritivas eficientes. Isso não retira a importância de todos, sem exceção, manterem os cuidados que já bem conhecemos. O quadro epidemiológico é monitorado diariamente e outras medidas podem ser determinadas, se necessário.

Assista sobre o assunto na reportagem de Educardo Scola:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.