Saúde

Boletim da Sesa confirma novos casos de dengue no Paraná

O estado já soma 1.807 casos

Carol
Carol Machado / Estagiária da equipe de estágio RIC Mais, sob supervisão de Guilherme Becker com informações da Secretaria Estadual da Saúde
Boletim da Sesa confirma novos casos de dengue no Paraná
(Tânia Rêga/Agência Brasil)

20 de janeiro de 2021 - 09:23 - Atualizado em 20 de janeiro de 2021 - 09:23

De acordo com o boletim da Secretaria Estadual da Saúde divulgado nesta terça-feira (19) há 83 novos casos confirmados de dengue no Paraná. O estado soma 1.807 casos desde o início do período que começou em agosto do ano passado.

Ainda de acordo com o boletim, 187 municípios apresentam casos confirmados da doença; 16 registram casos de dengue com sinais de alarme e 6 municípios registram casos de dengue grave.

O estado tem 20.993 notificações para a dengue distribuídas em 324 municípios das 22 Regionais de Saúde.

Os casos autóctones, quando o paciente contrai a doença no município de residência, são maioria. Dos 1.807 casos, 1.456 confirmam autoctonia.

“O Paraná segue atento a questão da dengue, promovendo ações de orientação junto aos municípios e à população. Nos primeiros dias de janeiro apoiamos uma força-tarefa no município de Sengés, onde equipes da Sesa atuaram junto aos profissionais da vigilância local para o controle de um surto na cidade; milhares de criadouros foram eliminados de forma manual e quatro caminhões de lixo e entulhos retirados”, afirmou o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

O período de chuvas pode ser propício para a proliferação do Aedes aegypti, portanto a população precisa ter o cuidado redobrado com o quintal.

“Estamos passando pelo período das chuvas, propícia para a proliferação do Aedes aegypti, então a recomendação da Sesa é para que a população mantenha os ambientes limpos, livres de entulhos e que sejam eliminados todos os pontos que possam acumular de água parada; lembrando ainda que estamos vivendo momento difíceis com a pandemia da Covid-19 e que todas as medidas preventivas para os dois agravos devem ser mantidas em benefício da saúde e da vida”, disse Beto Preto.

Saiba mais sobre oAedes aegypti

O Aedes aegypti se reproduz tanto em água limpa quanto em água suja e permanecem vivos por 45 dias.

Pessoas de qualquer idade estão sujeitas a ter dengue, por isso é importante manter os cuidados. A limpeza e o cuidado com água parada são fundamentais para evitar que o Aedes aegypti se prolifere.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.