Notícias

Sargento da PM envolvido com execuções na Grande Curitiba é encontrado morto em SC

Flávio Henrique Rodrigues da Silva era investigado por suspeita de comandar uma quadrilha de policiais que cometia assassinatos por encomenda

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem da RIC Record TV, Curitiba
Sargento da PM envolvido com execuções na Grande Curitiba é encontrado morto em SC
A morte do policial foi descoberta por um agente carcerário. Foto: Reprodução/RIC Record TV

14 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:51

Dois meses após ser preso em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, Flávio Henrique Rodrigues da Silva, sargento da Polícia Militar, foi encontrado morto dentro da cela onde estava detido no estado catarinense. 

Segundo informações, o corpo foi descoberto por um agente carcerário que fazia a contagem dos presos. Ele teria tirado a própria vida. O caso será investigado. 

Sargento foragido

O sargento da PM foi encontrado e preso no dia 18 de dezembro de 2019, depois de ficar aproximadamente sete meses foragido. Ele era investigado por suspeita de comandar uma quadrilha de policiais que fazia execuções por encomenda

Desde 2017, ele já usava uma tornozeleira eletrônica devido ao seu envolvimento com o assassinato de um casal de advogados em Curitiba. O que, conforme as investigações, não impediu que continuasse atuando como matador de aluguel

sargento-pm-envolvido-execucoes-morto

O sargento Flávio Henrique Rodrigues da Silva foi preso em Santa Catarina. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Execução do casal de advogados

Andréia Aparecida de Carvalho, de 32 anos, o marido Paulo Guilherme Carvalho de Matos, de 34 anos, e a irmã de Andréia, Angela Maria de Carvalho, de 36 anos, foram fuzilados depois que deixaram um restaurante no bairro Rebouças, na capital, em setembro de 2017. Apenas Angela sobreviveu. 

À época, testemunhas afirmaram que o sargento Silva jantava com as vítimas e, assim que elas saíram, ele fez uma ligação e informou que os “alvos já estavam saindo”. Silva chegou a ser preso, mas acabou solto e monitorado por uma tornozeleira eletrônica. 

Assassinato comerciante de carros 

O comerciante de veículos usados Reginaldo Bergamaschi foi executado em plena luz do dia, com disparos de fuzil 556 e pistola nove milímetros, no bairro Uberaba, em março de 2019. O crime foi registrado por câmeras de segurança. 

Na ocasião, o delegado Tito Barichello, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), informou que o veículo usado no crime foi encontrado no prédio onde vivia o sargento Silva, assim como foi comprovado que logo após o crime, o policial já estava em posse do veículo

As investigações apontaram que tanto o sargento como outros três policiais militares estavam envolvidos na execução. Os três PM’s suspeitos foram presos, enquanto o sargento Silva fugiu do Paraná

Alguns meses depois, um dos policiais foi solto porque as denúncias contra eles foram retiradas pela promotoria. De acordo com a Justiça, ele não trabalhava com o grupo de matadores