Notícias

Saiba quais as cinco ações penais em que o ex-presidente Lula é réu

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

13 de julho de 2017 - 00:00 - Atualizado em 13 de julho de 2017 - 00:00

Manifestantes que apoiam a Operação Lava Jato comemoram a condenação em primeira instância do ex-presidente Lula (Foto: Alice Vergueiro, Estadão Conteúdo)

Além da condenação no caso do triplex, Lula está envolvido em outras quatro ações; entenda

Condenado a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o ex-presidente Lula é réu em outras quatro ações penais, duas pela operação Lava Jato, uma pela Operação Janus e uma pela Operação Zelotes.

1. Compra de silêncio (Lava Jato)

A primeira vez em que Lula se tornou réu no âmbito da Lava Jato foi em julho de 2016. Na ação, o ex-presidente é acusado de tentar obstruir a justiça pela compra do silêncio do ex-diretor da Petrobras, Nestor cerveró. para impedir que ele delatasse integrantes do governo, a família de cerveró teria recebido R$ 250 mil a pedido de Lula.

2. Influência em favor da odebrecht (Operação Janus)

Depois, Lula se tornou réu foi em outubro de 2016. Dessa vez, pela Operação Janus, um desdobramento da Lava Jato, em Brasília. De acordo com a denúncia, o ex-presidente teria usado sua influência junto ao Bndes e a outros órgãos para favorecer a Odebrecht em contratos e obras de engenharia em Angola.

3. Compra de caças (Operação Zelotes)

Lula se tornou réu novamente em dezembro de 2016. No âmbito da Operação Zelotes, ele é acusado pelos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia diz que Lula teria interferido na compra de 36 caças suecos Gripen pelo governo brasileiro, além de ter atuado para prorrogar uma Medida Provisória que concedia incentivos fiscais para montadoras de veículos.

4. Propina para a sede do Instituto Lula (Lava Jato)

Também em dezembro de 2016, o juiz Sérgio Moro aceitou a quinta denúncia contra Lula e a terceira na Lava Jato. Na denúncia, o ex-presidente é acusado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em contratos firmados entre a Petrobras e a Odebrecht. Segundo o Ministério Público Federal, Lula teria recebido propina da empreiteira por intermédio do ex-ministro da fazenda, Antonio Palocci, também réu na ação, junto a Marcelo Odebrecht e a outras cinco pessoas.

Leia também 
Políticos repercutem condenação de Lula nas redes sociais