Notícias

Rocha Loures é vaiado por manifestantes ao desembarcar no Brasil

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

19 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 19 de maio de 2017 - 00:00

Rocha Loures estava em Nova York para encontro com investidores e desembaracou no aeroporto de Guarulhos na manhã desta sexta-feira (Foto: Reprodução/RICTV)

O paranaense foi afastado do cargo de deputado federal na quinta-feira (19) após uma gravação mostrá-lo recebendo uma mala com R$ 500 mil

O deputado afastado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-PR), citado na delação do empresário Joesley Batista por supostamente ter atuado no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em troca de propina, retornou ao Brasil na manhã desta sexta-feira (19) e foi recebido por vaias.

O voo dele pousou no Aeroporto de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, no começo da manhã. Ele estava em Nova York para encontro com investidores.

O parlamentar foi vaiado e alguns manifestantes pediram a prisão dele, conforme imagens exibidas pela RICTV. Cercado por repórteres, Loures não comentou as denúncias sobre propina e entrou em um táxi sem informar seu destino. Assista:

Rocha Loures foi afastado do cargo pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na manhã dessa quinta-feira (18), depois das revelações de que ele teria sido filmado pela Polícia Federal recebendo cerca de R$ 500 mil em propina do Grupo JBS. Também na manhã de ontem, dois endereços ligados a ele foram alvos de mandados de busca e apreensão em Curitiba, um imóvel no bairro Vista Alegre e outro no Alto da Glória. Além disso, o gabinete do parlamentar, em Brasília, também recebeu a visita de agentes da Polícia Federal

Homem de confiança do presidente Michel Temer, o paranaense era suplente e assumiu a vaga de deputado federal em março deste ano, quando Osmar Serraglio (PMDB-PR) virou ministro da Justiça de Temer.

O deputado federal afastado se filiou ao PMDB em 2005. No ano seguinte, se elegeu deputado federal. A aproximação com Temer, de quem foi assessor especial, aconteceu a partir de 2011.

Saiba mais:

STF abre inquérito contra presidente Michel Temer

Menção a Michel Temer é destaque mundial no Twitter

Pronunciamento: Temer não renuncia e chama gravações da PF de ‘clandestinas’ 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.