Notícias

Após 30 horas, júri popular decide pela absolvição dos acusados de matar torcedor do Paraná

Resultado gerou revolta na família da vítima e comemoração dos acusados

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Após 30 horas, júri popular decide pela absolvição dos acusados de matar torcedor do Paraná
O júri sobre a morte do torcedor do Paraná Clube teve início na quinta-feira (12) (FOTO: NADER KHALIL/ RICTV PR)

14 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:37

O júri popular sobre a morte de um torcedor do Paraná Clube, em 2012, que teve início na quinta-feira (12) chegou ao fim na madrugada deste sábado (14). Após aproximadamente 30 horas de audiência, o resultado inocentou os três acusados e causou revolta na família do adolescente Diego Henrique Raab Gonciero.

Juliano Rodrigues, Fábio Marques e Gilson da Silva Teles, todos torcedores do Athletico Paranaense, e ligados a torcida organizada Os Fanáticos, foram inocentados pela morte do adolescente Diego.

Réus são inocentados pela morte do torcedor do Paraná

O resultado do júri foi proferido pelo juiz Thiago Flores, aproximadamente às 2h30, na madrugada deste sábado (14). A Justiça decidiu por inocentar os três homens acusados pelo homicídio do torcedor do Paraná Clube.

O advogado de defesa dos réus comemorou o resultado após o julgamento. Cláudio Dalledone garantiu que foi feita a justiça. “Sempre acreditei na justiça, mantive firme o propósito de provar tudo aquilo que eu já desconfiava e comprovei, e não foi diferente. A sociedade ao julgar o fato, posto daquela forma, entendeu que eles são absolutamente inocentes”, conta.

Em uma rede social, um dos integrantes da defesa dos réus realizou uma postagem comemorando o resultado. No final, o advogado Leandro Muniz Correa desejou felicidade aos três inocentados, “curtam suas vidas”.

Família de jovem morto se revolta

Se por um lado a defesa dos réus comemorou o resultado, por outro a família de Diego ainda não sabe quem matou o jovem, sete anos após o crime. Com a absolvição, a Justiça permanece sem esclarecer quem foi o responsável pela autoria dos disparos.

Após a divulgação do resultado, os familiares choraram em frente ao Tribunal do Júri e lamentaram o resultado. “Eu não acredito mais na Justiça”, comentou uma tia da vítima. 

Assista a reportagem: