Notícias

Relator pressiona para que Câmara vote supersalários antes de reforma administrativa

Reuters
Reuters
Relator pressiona para que Câmara vote supersalários antes de reforma administrativa
Plenário da Câmara dos Deputados

14 de maio de 2021 - 12:42 - Atualizado em 14 de maio de 2021 - 12:45

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) – O relator de projeto que estabelece um teto para os supersalários no serviços públicos, deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR), defendeu nesta sexta-feira que a proposta seja analisada antes da reforma administrativa, em discussão na Câmara.

O deputado argumenta que não é possível modificar a estrutura administrativa do funcionalismo público “pela metade” ou “mantendo privilégios”. O parlamentar lembra ainda de edição de recente ato do Executivo que permitiu salários acima do teto constitucional ao presidente Jair Bolsonaro, ao vice-presidente Hamilton Mourão e a ministros do Executivo.

“É impossível se votar a reforma administrativa sem coibir primeiro os supersalários. É uma questão de lógica e de Justiça com todos os servidores. Porque do jeito que está hoje, a reforma administrativa não entra com profundidade na questão do teto salarial no serviço público e deixa brechas para os famosos ‘penduricalhos’ que engordam os contracheques, principalmente no Judiciário, e permitem o privilégio dos supersalários para uma pequena casta de servidores do alto escalão”, disse Rubens Bueno.

“Enquanto defende o rebaixamento do salário dos servidores, o Ministério da Economia editou portaria para permitir que o presidente Jair Bolsonaro, ministros e integrantes do alto escalão do governo federal recebam acima do teto constitucional, que é o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que hoje é de 39.293,32 reais. Vai ter ministro ganhando mais de 66 mil reais. Essa atitude não condiz com o discurso do governo de que é preciso cortar privilégios”, afirmou.

A proposta que barra os supersalários já foi analisada pelo Senado e aguarda deliberação na Câmara dos Deputados desde 2018.

Já a reforma administrativa, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), vem sendo discutida pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. A previsão é que o relator da reforma, deputado Darci de Matos (PSD-SC), deve promover a leitura de seu parecer na próxima segunda-feira, para que seja votado na quinta-feira seguinte.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH4D0YF-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.