Notícias

Ratinho Junior faz balanço do primeiro ano de governo

Nesta quinta-feira (19), o governador esteve no Grupo RIC, onde falou de previdência, infraestrutura, pedágio e metas para 2020

Gabriel
Gabriel Azevedo
Ratinho Junior faz balanço do primeiro ano de governo
“Foi como trocar o pneu com o carro em movimento", diz Ratinho Jr. sobre primeiro ano de mandato. FOTO: AEN

19 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 19 de dezembro de 2019 - 00:00

O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, fez um balanço do primeiro ano de mandato em entrevistas concedidas ao Paraná no Ar e RIC Mais Notícias, nesta quinta-feira (17). 

Para Ratinho Jr., 2019 foi um ano de muito ajustes. “Foi como trocar o pneu com o carro em movimento. Mas conseguimos fazer muita coisa. Eu destacaria a pacificação política. Durante muitos anos, nós tivemos governos que não dialogavam com os senadores, com a bancada na Câmara. Hoje nós temos uma agenda unida em busca de investimentos para o Paraná”. 

Ratinho Junior também ressaltou os dados positivos conquistado neste ano. “Nós lideramos a geração de empregos na região Sul do Brasil. Atraímos R$ 23 bilhões em investimentos de novas empresas. Modernizamos a máquina, diminuímos o número de secretarias de 28 para 15, cortamos cargos comissionados. A nossa indústria cresceu 7%, o dobro do segundo colocado. Foi um bom ano. Estou motivado”. 

Polêmicas

No fim do ano, o governador foi criticado pela reforma da previdência dos servidores públicos estaduais, aprovada no último mês de 2019. Entre outras mudanças, a reforma estabelece idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, e pelo menos 25 anos de tempo de contribuição para aposentadoria e aumentou de 11% para 14% a alíquota cobrada sobre o salário dos servidores. 

Ratinho Jr. disse que não houve atrito com servidores. “Pode ter havido um desentendimento com um ou outro sindicato que fez um pouco mais de barulho. A Previdência era uma obrigação, tínhamos que fazer. Era uma adequação à nova legislação federal”, afirmou. 

Outra ponto de atrito, principalmente com ambientalistas, é a possível construção de uma rodovia paralela à PR-412, em Pontal do Paraná, que ligaria a PR-407 ao novo terminal privado Porto Pontal. “O nosso objetivo é fazer do Paraná um grande centro logístico da América do Sul. A estrada não serviria apenas ao porto, mas a cidade de Pontal do Paraná. O Litoral precisa de empregos para além da temporada”. 

2020

Em janeiro do próximo ano, o Governo do Paraná pretende começar as obras de duplicação na Rodovia dos Minérios. 

Outro projeto, diz Ratinho Jr., é a implantação do projeto Cartão Futuro. “Será o maior programa de primeiro emprego de jovens no Brasil”, prometeu. “Também vamos investir na modernização da segurança, com compra de viaturas, de armamentos. Vamos investir na saúde”. 

Mesmo que termine apenas em 2021, a concessão das rodovias no Paraná também está na pauta do governo. “Nós já construímos um grupo de trabalho com o Ministério da Infraestrutura. Queremos corrigir os erros do passado. Fazer uma licitação transparente, com um novo anel rodoviário, abaixar o preço das tarifas e aumentar as obras”. 

 

 Assista