Notícias

Randolfe diz que chamar governadores é diversionismo e pede convocação de Bolsonaro na CPI

Para ter efeito, o requerimento precisa ser votado e aprovado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)

Reuters
Reuters
Randolfe diz que chamar governadores é diversionismo e pede convocação de Bolsonaro na CPI
Senador Randolfe na CPI

26 de maio de 2021 - 14:11 - Atualizado em 26 de maio de 2021 - 14:42

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) – O vice-Presidente da CPI da Covid no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou requerimento nesta quarta-feira para convocar o presidente Jair Bolsonaro a prestar depoimento à comissão.

No pedido, o senador argumenta que “a cada depoimento e a cada documento recebido, torna-se mais cristalino que o presidente da República teve participação direta ou indireta nos graves fatos questionados por esta CPI”.

Para ter efeito, o requerimento precisa ser votado e aprovado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e pairam dúvidas sobre a possibilidade jurídica de uma CPI convocar um presidente da República.

Randolfe apresentou o requerimento depois de uma reunião privada dos integrantes da CPI em que se chegou a um acordo pela convocação de governadores. O senador foi contrário e afirma que chamar governadores neste momento é uma “manobra diversionista” da bancada governista na CPI e que esse não era o momento.

“Se a CPI vai abrir precedente para convocar governadores, da mesma forma é mais coerente convocar o presidente da República, que tem fato determinado e que está no caminho, no rastro das investigações”, disse Randolfe em entrevista à GloboNews.

A visão de Randolfe, no entanto, foi derrotada e a convocação de nove governadores foi aprovada na reunião da CPI da manhã desta quarta. O senador deixou claro que não concordava, mas disse que acatou a decisão da maioria do grupo independente/oposicionista da CPI porque a união desses senadores é o mais importante nesse momento.

“Eu venho trabalhando com afinco para que esse grupo majoritário se mantenha unido. Ele tem que se manter unido”, afirmou.

Líder do bloco governista na CPI, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) afirmou que a proposta de chamar o presidente foi apenas uma “tentativa de blindagem dos governadores”. A proposta levou a um bate-boca entre Rogério e Randolfe na sessão da CPI.

Na reunião desta manhã, foram aprovados, além da convocação de governadores, requerimentos para o depoimento de nomes próximos ao presidente, como o assessor especial da Presidência, Filipe Martins e do ex-assessor Arthur Weintraub. Também serão reconvocados o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o ex-ministro Eduardo Pazuello.

A convocação de Bolsonaro não foi colocada em pauta no momento.

(Reportagem adicional de Lisandra Paraguassu)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.