Notícias

Protesto contra Temer em Brasília tem tumulto

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

24 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 24 de maio de 2017 - 00:00

Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

Pelo menos 35 mil pessoas estão no protesto que reúne, pela primeira vez na última década, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical

Policiais da tropa de choque de Brasília se posicionaram dentro do Ministério da Agricultura, que foi invadido na tarde desta quarta-feira (24) por manifestantes, que protestam contra o governo do presidente Michel Temer. Segundo informações da assessoria da pasta pelo WhatsApp, os manifestantes chegaram a atear fogo no auditório onde ocorrem as entrevistas do ministro Blairo Maggi e quebraram quadros da galeria de fotos de ex-ministros. 

De acordo com informações do órgão, ninguém ficou feriado. Os ocupantes do prédio foram orientados a deixar o local.

Um dos prédios da Esplanada dos Ministérios recebeu uma proteção especial. A Força Nacional de Segurança deslocou cerca de 400 homens para proteger o Ministério da Fazenda. A atuação da Força Nacional é requerida pela Secretaria de Segurança Pública da unidade federativa ao ministério da Justiça. 

Devido aos focos de violência, a Casa Civil da Presidência da República determinou a liberação de todos os funcionários que trabalham na Esplanada dos Ministérios.

Pelo menos 35 mil pessoas estão no protesto que reúne, pela primeira vez na última década, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical. Os dois grupos pedem a derrubada das reformas trabalhistas e da Previdência, e a saída de Michel Temer da presidência.

De acordo com a polícia, quatro pessoas foram detidas. O clima de tensão aumentou de forma significativa a partir das 13 horas, quando policiais lançaram bombas de gás lacrimogêneo contra manifestantes. Integrantes do protesto, por sua vez, atearam fogo em banheiros químicos e alambrados. Alguns ministérios foram depredados.

Embora ainda haja muitos focos de confronto com policiais, vandalismo, agressão e barricadas em ministérios, uma grande parte dos manifestantes continua no protesto, alguns até em clima de normalidade deitados no imenso gramado da Esplanada. Por causa das confusões, muitas pessoas já deixam a manifestação mas ainda há um grande número no local.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.