Notícias

Promotor do caso Daniel sobre Edison Brittes: “tudo tem origem estranha”

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

19 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 19 de novembro de 2018 - 00:00

Edison Brittes Júnior está preso (Foto: reprodução das redes sociais)

Promotor revela indícios de Edison Brittes com outras atividades criminosas

O promotor do caso envolvendo o jogador Daniel, João Milton, disse nesta segunda-feira (19) que “tudo tem origem estranha”, sobre Edison Brittes – apontado como principal suspeito -, utilizar outros carros, motos e residências em nome de outras pessoas.

De acordo com o promotor, “há indícios de participação de Edison em outras atividades criminosas”. Ainda segundo o promotor do caso, “dado o histórico, origem, circunstâncias, tem que tomar providência de se investigar pra ver a participação dele ou não com organização criminosa”, explicou.

Casal Brittes utilizando a moto em nome de traficante (Reprodução)

Edison Brittes | organização criminosa

“Foi uma execução a tiros de fuzil, tem que ser levantado”, disse o promotor sobre a morte do dono do celular encontrado com Edison Brittes. A promotoria diz que tudo deve ser objetivo de análise. “A conduta dele de cometer esse homicídio, como aconteceu, e tudo envolta dele gerar esse problema. Ele [Edison] conseguiu trazer o radar para ele”, apontou João Milton.

A moto esportiva utilizada por Edison Brittes e Cristiana Brittes para encontros está no nome de um traficante condenado a mais de 30 anos de prisão.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), pode aparecer na investigação por possível envolvimento de político, de acordo com o repórter Guilherme Rivaroli.

Confissão de Edison Brittes foi precipitada

Para a promotoria, a confissão feita por Edison Brittes sobre a morte do jogador Daniel foi precipitada. “Antes de ser ouvido na delegacia, o próprio Edison chamou a imprensa e deu declaração, adiantou vários fatos, e, no curso das investigações, se mostraram diferente do que ele disse”, relatou o promotor do caso.

Laudos no caso Daniel

A promotoria também disse que devem ficar prontos nesta semana os laudos do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística envolvendo o jogador morto Daniel.

Sobre o laudo do IML, “vai apontar o que ocorreu com o corpo da vítima – incluindo várias situações do momento da morte – da forma com que ela ocorreu, um eventual sofrimento da vítima, quando foi o ato final”, disse o Milton.

Já o laudo envolvendo a criminalísticas diz respeito à dinâmica da morte – que já foi dita pela prova testemunhal dos suspeitos – e agora a perícia vai apontar como tudo ocorreu.

Daniel Correa foi morto brutalmente em São José dos Pinhais (Foto: Reprodução arquivo pessoal)
Caso Daniel: Recalcatti 

O deputado estadual Rubens Recalcatti “não entra em absolutamente nada”, diz o promotor sobre o caso Daniel. “O fato de estar presente, por si só, não é indicio de participação criminosa”, explica o promotor.

Recalcatti diz que seria meramente amizade política, sobre a relação com a família Brittes. O deputado aparece em fotos com a família no aniversário de 17 anos de Allana Brittes – presa suspeita de envolvimento na morte do jogador Daniel. Em um vídeo, o deputado parabeniza Cristiana Brittes pelo aniversário.

Família Brittes ao lado de Recalcatti (Reprodução)
Assista à reportagem sobre o caso:

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.