Notícias

Proibição de venda de cerveja perto de estádios do PR é protocolada na Alep

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

9 de fevereiro de 2017 - 00:00 - Atualizado em 9 de fevereiro de 2017 - 00:00

Deputado quer proibir venda de bebidas alcoólicas perto de estádios de futebol no Paraná (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O projeto de lei proíbe a venda de bebidas alcoólicas em um raio de 200 metros desses espaços

Um projeto de lei que proíbe o consumo e a comercialização de bebidas alcoólicas nas proximidades de estádios de futebol, ginásios e quaisquer estabelecimentos destinados a competições esportivas foi protocolado na Assembléia Legislativa do Paraná (Alep), nesta quarata-feira (9). Com a leitura do projeto já feita em Plenário, ele começa agora a tramitar pelas comissões técnicas da Assembleia.

“Essa é uma medida que tem como objetivo proteger os cidadãos de bem, que gostam de assistir a um jogo de futebol e hoje não se sentem seguros para frequentar esses espaços. São muitos os torcedores ou vândalos que permanecem bebendo na região dos estádios e que causam todo tipo de problema”, justifica o deputado Missionário Ricardo Arruda (DEM), o autor do projeto.

O projeto proíbe a venda de bebidas alcoólicas em um raio de 200 metros desses espaços de lazer no período de duas horas antes do início de qualquer evento esportivo. os estádios a venda já é proibida desde 2009.

Multa

Os estabelecimentos que descumprirem a determinação ficariam sujeitos ao pagamento de multa no valor de 100 UPF/PR (Unidade Padrão Fiscal) e, em caso de reincidência, o infrator terá que pagar o dobro desse valor e ainda terá o alvará cassado. O valor de cada Unidade Padrão Fiscal, neste mês de fevereiro, corresponde a R$ 95,25. No caso dos vendedores ambulantes, o que é comum em dias de eventos esportivos, a mercadoria será apreendida. O projeto ainda determina que, os valores arrecadados com as multas serão revertidos para o Fundo Estadual de Políticas sobre Drogas – FESD.

Justificativa 

O projeto foi fundamentado com base na Lei 10.671/2003 – o Estatuto do Torcedor, que determina em seu artigo 13-A as condições de acesso e permanência do torcedor nos locais de práticas esportivas. O inciso II deste artigo é claro ao afirmar que, entre as condições, está a de “não portar objetos, bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência”.  

O deputado Missionário Ricardo Arruda ressalta ainda que, após medidas adotadas pelos clubes paranaenses, entre o ano de 2008 (último ano com venda autorizada) e 2009 (primeiro ano com a proibição), os índices de fatos ilícitos ocorridos dentro dos estádios de futebol foram reduzidos em mais de 60%. “É a preocupação com a integridade física dos frequentadores de competições esportivas que me levam a apresentar esse projeto. Não basta a proibição dentro dos estádios, pois, sabidamente, durante os eventos, é grande o número de pessoas que permanecem bebendo em bares ao redor desses locais, o que facilita a ação daqueles torcedores mais exaltados e embriagados”, afirma Arruda.

Leia mais

Atlético-PR bate Millonarios nos pênaltis em partida de volta na Colômbia

Com muito sufoco, Paraná Clube garante vaga na Copa do Brasil

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.