Economia

Produção industrial tem crescimento em agosto, mas em ritmo menor que o de julho

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

23 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 23 de setembro de 2019 - 00:00

A produção industrial cresceu em agosto, mas num ritmo menor que o verificado em julho. O índice de evolução da produção atingiu 51,4 pontos em agosto, ante 53 pontos do mês anterior. O dado consta da pesquisa Sondagem Industrial divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Apesar de menor, o índice ficou acima da linha divisória de 50 pontos, o que indica aumento de produção. De acordo com a CNI, o crescimento da produção é comum no mês. No entanto, o resultado de agosto deste ano é inferior ao registrado no mesmo mês dos últimos anos, “o que significa dizer que o crescimento deste ano, na passagem de julho para agosto, foi menor e menos disseminado que em anos anteriores”.

A pesquisa mostra que o nível de estoques da indústria brasileira manteve-se estável em agosto, atingindo 50,1 pontos no mês. Essa estabilidade, destaca a pesquisa, ocasionou um ajuste parcial dos estoques, o que levou o índice de nível de estoque efetivo em relação ao planejado a recuar de 52,8 pontos para 51,7 pontos. O indicador da pesquisa varia de uma escala de zero a 100, onde valores acima de 50 pontos indicam crescimento do nível de estoques ou estoque efetivo acima do planejado.

“Ainda há estoques indesejados, mas o excesso não planejado diminuiu na comparação com o registrado em junho e julho. Esse resultado sugere que futuros aumentos da demanda, quando acontecerem, poderão gerar maior estímulo à produção”, afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo, em nota divulgada pela entidade.

Para Azevedo, o excesso de estoques indesejados é uma das razões para o crescimento da produção em nível menos acelerado em agosto.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) aumentou um ponto porcentual em agosto, subindo para 69%. O índice continua em trajetória próxima à observada no ano passado, mas distante do patamar registrado nos anos pré-crise. Segundo a pesquisa, a UCI está cinco pontos porcentuais abaixo do média do mês de agosto, se considerado o período de 2011 a 2014.

Com relação ao índice de evolução do número de empregados, ele atingiu 48,6 pontos em agosto, um aumento de 0,2 ponto em relação a julho. Apesar da ligeira alta, o indicador continua abaixo de 50 pontos, o que sinaliza queda no emprego.

Expectativas

A Sondagem Industrial mostra que todos os índices de expectativas dos industriais apresentaram queda em setembro. Os índices de expectativa e demanda e quantidade exportada caíram 0,6 ponto; o índice de expectativa de compras de matérias-primas caiu em 0,9 ponto; e o índice quanto ao número de empregados recuou 0,1 ponto.

Apesar da queda, todos os índices permaneceram acima dos 50 pontos, o que ainda indica otimismo do setor.

Com relação à intenção de investimento, os empresários reduziram o apetite por investimento neste mês. O índice caiu 0,6 ponto na comparação mensal, atingindo 53,5 pontos. Apesar da queda, o índice está 2,7 pontos acima do registrado no mesmo período de 2018.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.