Notícias

Procon-PR alerta consumidores sobre os riscos do cartão por aproximação

Segundo a pesquisa realizada pelo Procon-PR, 76,8%  dos entrevistados disseram desconhecer os cuidados necessários para utilizar este recurso

Caroline
Caroline Maltaca / Estagiária com informações da RIC Record TV e supervisão de Caroline Berticelli
Procon-PR alerta consumidores sobre os riscos do cartão por aproximação
Procon alerta consumidores sobre os riscos do cartão por aproximação (Foto: Reprodução/Pixabay)

12 de agosto de 2021 - 18:50 - Atualizado em 12 de agosto de 2021 - 18:50

O uso de cartões com a opção de pagamento por aproximação está se tornando cada vez mais popular, principalmente, durante o período de pandemia, quando as pessoas evitam ao máximo tocar em superfícies que podem estar contaminadas. Entretanto, segundo a diretora do Procon/PR, Claudia Silvano, apesar da facilidade, é preciso estar atento aos golpes facilitados pela nova tecnologia.

“Ela não é ruim [a tecnologia], o que falta é a boa informação”,

afirma a diretora do Procon, Claudia Silvano.

De acordo com uma pesquisa realizada em Curitiba, pelo Procon/PR, com mais de 900 pessoas entre os dias 21 e 23 de julho, a maioria se mostra ainda pouco familiarizado com o que de fato está por trás dessa inovação. Segundo os dados levantados:

  • 76,8% disseram desconhecer os cuidados necessários;
  • 77,4% afirmam que os bancos não passam informações suficientes sobre o recurso;
  • 67,5% disse não se sentir seguro em pagar suas contas com a função;

À equipe de reportagem da RIC Record TV, Silvano ressaltou a importância dos consumidores procurarem se informar sobre o funcionamento de seus cartões por aproximação e sobre os valores dos pagamentos autorizados por transações.

“Nós constatamos que é possível que cada transação realizada seja do valor de R$200. Então, imagine se esse cartão é furtado, ou roubado… quer dizer, até o consumidor perceber ou poder comunicar o banco, quanto estrago na sua conta pode acontecer?”,

alertou Claudia.

Como esta funcionalidade não requer senha para concluir um pagamento, ou seja, basta aproximar o cartão da maquininha e pronto: pagamento realizado com sucesso! Os riscos em passar por golpes dentro de transportes coletivos, por exemplo, só aumentam, isso porque, de acordo com o especialista de cibersegurança Altair Olívio Santin, a maquininha é capaz de reconhecer o cartão a 5 cm de distância.

“Uma opção é desabilitar essa função. Apesar dela estar presente no cartão, ela pode ser desabilitada nos bancos. Outra coisa que é possível fazer é usar aplicativos que também permitem o pagamento via celular ou smartwatch, eles também permitem por aproximação. A diferença é que ela é mais segura, porque no App ela permite e exige uma senha, o que não acontece no caso do cartão”,

explicou o especialista a RIC Record TV.

Caso um cidadão passe por um transtorno diante dessa tecnologia, o Procon informa que o primeiro passo é recorrer ao banco responsável pela conta e pedir que medidas sejam tomadas. Mas se o problema não for resolvido de imediato, é importante procurar o órgão público.

“Sempre que o consumidor tem algum problema a gente orienta que procure o fornecedor, no caso o banco. Se não houver a solução espontânea, o consumidor pode reclamar no Procon. Lembrando que temos a plataforma consumidor.gov.br que permite que o consumidor possa reclamar sem precisar se deslocar”,

finalizou Claudia.