Agronegócio

Processadora de carne britânica diz que escassez de CO2 pode interromper produção

Reuters
Reuters
Processadora de carne britânica diz que escassez de CO2 pode interromper produção
Carne fresca em um balcão de açougue em Great Yarmouth, Reino Unido.

20 de setembro de 2021 - 17:06 - Atualizado em 20 de setembro de 2021 - 17:10

(Reuters) – A processadora de carnes listada em Londres Cranswick alertou nesta segunda-feira que uma escassez de dióxido de carbono no Reino Unido, juntamente com uma crise trabalhista, poderia paralisar a produção de toda a cadeia de fornecimento antes de Natal.

O dióxido de carbono é usado para atordoar animais antes do abate, na embalagem a vácuo de produtos alimentícios para estender sua vida útil, e para gaseificar cerveja e refrigerantes, por exemplo.

O chefe da Cranswick, Adam Couch, instou o governo, que está em negociações de emergência com a indústria de energia para lidar com o aumento dos preços do gás, a agir imediatamente para evitar “uma grande crise na indústria de alimentos”.

“A indústria já está em um ponto crítico antes do período de grande demanda do Natal”, disse Couch em um comunicado.

“Trabalhamos incansavelmente durante a pandemia para manter os alimentos nas prateleiras, mas há um risco real de escassez de produtos em todo o país se o governo não agir imediatamente para resolver esses problemas… A escassez de C02 pode efetivamente levar a produção a uma interrupção.”

A indústria de carnes da Grã-Bretanha alertou na sexta-feira que uma escassez iminente de dióxido de carbono poderia causar uma grande interrupção no fornecimento de alimentos em duas semanas.

A cadeia de abastecimento de alimentos da Grã-Bretanha, que sofre com a escassez de caminhoneiros e o impacto do Brexit e da Covid-19, depende fortemente dos produtores de fertilizantes para obter CO2, que é um subproduto de seu processo de produção.

(Reportagem de Muvija M em Bengalore)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH8J0TZ-BASEIMAGE