Notícias

Primo de Cristiana Brittes presta depoimento nesta segunda-feira (12)

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

12 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 12 de novembro de 2018 - 00:00

Ele é primo de Cristiana Brittes e viajou com a namorada para participar da comemoração do aniversário de Allana Brittes (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Eduardo Henrique da Silva é suspeito de agredir o jogador Daniel Corrêa e presenciar a morte do jovem

Um dos seis suspeitos de participação na morte do jogador Daniel Corrêa, Eduardo Henrique da Silva, deve prestar depoimento nesta segunda-feira (12), na Delegacia de São José dos Pinhais, para apresentar sua versão do crime. O depoimento está previsto para começar às 10h.

O jovem, de 19 anos, foi preso na última quarta-feira (7), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, onde mora com a família. Ele é primo de Cristiana Brittes e viajou com a namorada para participar da comemoração do aniversário de Allana Brittes. Ele é suspeito de agredir o jogador e presenciar a morte

Ele foi transferido para Curitiba na sexta-feira e permanece preso na Delegacia de São José dos Pinhais.

Família de jogador presta depoimento

tia de Daniel Corrêa Freitasassassinado no dia 27 de outubro, e uma prima prestaram depoimento nesta quinta-feira (8), na delegacia de Polícia Civil de São José dos Pinhais. A família veio de Conselheiro Lafaiete, em Minas Gerais, para auxiliar no esclarecimento do crime.

Depoimento de Edison Brittes

Edison prestou depoimento por seis horas à Polícia Civil, na Delegacia de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, nesta quarta e mudou a versão dos fatos que inicialmente havia apresentado. Conforme o documento, quando flagrado na cama do casal, o jogador Daniel teria pedidos desculpas. “Desculpa, não sei o que eu tô fazendo aqui, não sei o que está acontecendo”, foram as palavras que segundo o suspeito, o ex-Coritiba teria dito.

Família Brittes na casa noturna, horas antes do crime
(Foto: reprodução das redes sociais)

Depoimento de Allana Brittes

Allana Brittes, filha do suspeito de matar o jogador, prestou depoimento na tarde da última segunda-feira, cinco de novembro de 2018. No interrogatório, ela mudou a primeira versão e afirmou que conhecia Daniel há um ano e cinco meses, além de contar que o pai a orientou para inventar a história de que o Daniel Corrêa havia saído da residência após o ‘after’ pelo portão, sem avisar onde iria, e tomado rumo desonhecido.

Depoimento de Cristiana Brittes

A mulher do assassino confesso, Cristiana Brittes, passou por interrogatório na última terça-feira, dia seis de novembro de 2018, e afirmou que não conhecia o jogador, mas já tinha visto o rapaz em um evento familiar anterior, na festa de 17 anos da filha Allana. No relato, Cristiana ainda contou que não pode dizer com clareza quem agrediu Daniel, já que pediu apenas para o ajudarem.

Depoimento de suspeitos de agressão

Em depoimento, o jovem alegou que auxiliou nas agressões contra o jogador Daniel que ocorreram dentro da residência da família Brittes, mas que não teve participação no assassinato. Conforme o documento, Deivid não conhecia o jogador até o dia do crime, mas conversou com ele a respeito de futebol antes de ir dormir.

Ele afirmou que foi intimado por Edison Brittes, junto com seu amigo Ygor, para entrar no veículo no qual o atleta foi levado no porta-malas. E, também contou que após ver alguma coisa em um celular – que Daivid não sabe dizer de quem era – Edison teria ficado descontrolado e decidiu matar o jogador Daniel

Os jovens são suspeitos de ter ajudado Edison Brittes Júnior a matar o jogador Daniel
(Foto: Almir Junior/RICTV Curitiba)

O jovem ainda contou que, após Edison dizer que iria matar o jogador Daniel, todos que estavam no veículo teriam incentivado Edison para apenas largar o jovem em algum lugar, para que ele fosse humilhado, pois ele já teria ganhado o que merecia. No entanto, o assassino confesso seguiu até a Colônia Mergulhão e parou. 

No local, ele teria dito para que ninguém descesse do carro, mas Eduardo desceu mesmo assim. É nesse momento, que Daivid conta a parte mais chocante do crime, a hora da morte do jogador Daniel: quando ele teria sido parcialmente degolado por Edison Brittes.

Moto dirigida por Edison Brittes está no nome de traficante
Uma moto modelo esportivo utilizada por Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel Corrêa Freita, foi apreendida pela Polícia Civil de São José dos Pinhais na última sexta-feira (9). Conforme o delegado Amadeu Trevisan, o veículo está registrado em nome de um traficante que está preso na Casa de Custódia de Piraquara, confira!

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.