Notícias

Pressionado por setor aéreo, Reino Unido cogita reduzir restrições a viajantes vacinados

Reuters
Reuters
Pressionado por setor aéreo, Reino Unido cogita reduzir restrições a viajantes vacinados
Avião decola do aeroporto de Heathrow, em Londres

17 de junho de 2021 - 09:48 - Atualizado em 17 de junho de 2021 - 09:51

Por Alistair Smout e Sarah Young

LONDRES (Reuters) – O Reino Unido está cogitando reduzir as restrições de viagens a pessoas que receberam duas doses de vacina contra a Covid-19, uma medida que acalmaria empresas aéreas que ameaçam iniciar processos contra as limitações rígidas do governo a viagens ao exterior.

A pressão está aumentando no setor da aviação, e as empresas aéreas estão desesperadas por um relaxamento das restrições que chegue até julho e a alta temporada, a época em que mais lucram, mas o Reino Unido está se atendo a exigências de quarentena que impedem viagens.

Maior empresa aérea europeia, a Ryanair deve iniciar um processo contra o Reino Unido nesta quinta-feira devido à sua diretriz de viagens.

Mas agora o país sinaliza que um afrouxamento pode estar a caminho.

Também nesta quinta-feira, seu Departamento de Transporte disse que está estudando como as vacinações poderiam ser usadas para voos de chegada. Mais da metade dos adultos britânicos receberam duas doses de vacina contra a Covid-19, o que coloca o país bem à frente do resto da Europa.

Segundo reportagens do jornal Daily Telegraph, o Reino Unido está cogitando seguir uma medida da União Europeia e receber turistas totalmente vacinados para evitar exames e quarentena de Covid-19 a partir de julho.

“Começamos um trabalho para analisar o papel da vacinação na formulação de um conjunto diferente de medidas de saúde e de exame para voos de chegada”, disse um porta-voz do governo nesta quinta-feira.

A Ryanair, assim como a British Airways e a easyJet, já pediu várias vezes que o governo libere viajantes vacinados para evitar a quarentena, além de um relaxamento das restrições a alguns países de risco mais baixo.

O executivo-chefe da Ryanair classificou a diretriz de viagens britânica como “uma porcaria”, e a frustração da empresa é tanta que agora ela quer processar o governo por causa de seu sistema “opaco” de classificação de destinos de viagem nas cores verde, âmbar ou vermelho.

Segundo planos sendo estudados pelo governo, pessoas que receberam duas doses de vacinas contra a Covid-19 poderão evitar uma quarentena ao voltarem de países da lista âmbar, mas ainda terão que ser examinadas, noticiou o Daily Telegraph.

Indagado sobre a reportagem, o secretário do Tesouro, Jesse Norman, disse à rede Sky News nesta quinta-feira que nada está descartado ao se analisar como reativar o setor de viagens.

“Estamos tentando avançar cautelosa e progressivamente na direção certa, então eu não desconsideraria nada neste momento”, disse ele.

(Por Alistair Smout e Sarah Young em Londres e Akriti Sharma e Juby Babu em Bengaluru)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5G0UD-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.