Notícias

Prefeito acusado de usar cilindro de oxigênio para “bombear” chopp não vai a júri popular

Com a decisão, o processo é arquivado com relação à acusação de homicídio doloso pela inexistência de provas

Aline
Aline Cristina / Repórter com Tribuna do Interior
Prefeito acusado de usar cilindro de oxigênio para “bombear” chopp não vai a júri popular
(Foto: Divulgação/ Ministério Público do Paraná)

2 de julho de 2021 - 13:16 - Atualizado em 2 de julho de 2021 - 13:22

José Cláudio Pol, ex-prefeito de Luiziana, no Centro Oeste do Paraná, acusado de ser responsável pelo desvio de um cilindro de oxigênio do posto de saúde do município para “bombear” uma máquina de chopp,  não irá a júri popular. A decisão foi tomada pelo Tribunal de Justiça do Paraná, na última semana do mês de junho.

Na ação o Ministério Público responsabiliza Pol pela morte de uma paciente em razão da falta do oxigênio, já que o cilindro estaria sendo usado em uma máquina de chope na festa de réveillon de 2012, na casa do então prefeito.

Com a decisão, o processo é arquivado com relação à acusação de homicídio doloso pela inexistência de provas.

Além do ex-prefeito negar ter autorizado retirar o cilindro do posto, outro argumento da defesa acatado pelo TJ-PR é que havia na unidade de saúde outro equipamento de oxigênio, que poderia ter sido utilizado no atendimento da paciente. 

A decisão de não levar o ex-prefeito a júri popular foi tomada pelo TJ a partir do voto do desembargador Benjamim Acacio de Moura e Costa, que havia pedido vista do processo.

Sobre o caso 

O caso tomou repercussão nacional após uma foto ao lado do cilindro de oxigênio ser postada em uma rede social,  por um dos familiares do ex-prefeito.

A cidade de Luziana fica a cerca de 30 quilômetros da cidade de Campo Mourão.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.