Notícias

Porto Seguro e Cosan formam joint venture em assinatura de veículos

Reuters
Reuters
Porto Seguro e Cosan formam joint venture em assinatura de veículos
Pessoas conferem veículos em loja.

8 de novembro de 2021 - 18:48 - Atualizado em 8 de novembro de 2021 - 18:50

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) – A Porto Seguro e a empresa de energia e logística Cosan anunciaram nesta segunda-feira a formação de uma joint venture de assinatura de veículos e de gestão de frotas, com a crescente aposta de ambas em mobilidade urbana.

A joint venture terá participação de 50% de cada sócia, com a Porto Seguro participando do negócio por meio de sua unidade Carro Fácil, que já atua em assinatura de veículos. A Cosan vai aportar cerca de 300 milhões de reais na parceria.

Criado em 2016, o Carro Fácil, serviço de assinaturas de carros zero quilômetro, tem crescido mais de 50% ao ano, e atualmente tem uma base de quase 10 mil clientes, disse o presidente-executivo da Porto Seguro, Roberto Santos.

Na saída, o negócio com a Cosan manterá foco atual na assinatura de veículos leves da Carro Fácil, que vende planos de 12 a 24 meses, com preços mensais de 1,7 mil a 5 mil reais.

“Estamos vendo uma avenida de crescimento movida pelas novas relações das pessoas em relação a automóveis”, afirmou Santos em entrevista à Reuters.

Ainda relativamente pequeno no Brasil, o mercado de assinatura de carros tenta ganhar tração buscando clientes em busca de ter o veículo como um serviço, ficando livres de burocracias com licenciamento, compra e venda, seguros, etc.

Para Porto Seguro e Cosan, a parceria evidencia a busca de fontes alternativa de receitas, ao mesmo tempo em que se vêem direta ou indiretamente desafiadas por novos negócios, como plataformas digitais de seguros ou a crescente demanda por veículos elétricos.

A Porto Seguro anunciou em junho a compra de 50% da empresa de pedágio eletrônico ConectCar, passando a dividir o controle da empresa com o Itaú Unibanco, seu maior sócio, que também tem feito parcerias na área de mobilidade urbana.

Já a Cosan, sócia da rede de postos de combustíveis Shell, vem na esteira de uma reorganização societária enquanto diversifica suas linhas de negócios, apostando em segmentos alinhados à menor emissão de carbono. Nos últimos meses, anunciou investimentos em startups ligadas ao setor e uma segunda fábrica de etanol celulósico.

Segundo Luis Henrique Guimarães, presidente-executivo da Cosan, na parceria com a Porto Seguro serão gradativamente incluídos na oferta de assinatura veículos com “menor pegada de carbono, inclusive elétricos…Vai depender da demanda”, disse.

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHA719Z-BASEIMAGE