Política

Veja a mansão de R$ 6 milhões comprada por Flávio Bolsonaro. ‘Ele que se explique’, dizem os militares

Flávio afirma que deu entrada com dinheiro da venda de um apartamento no Rio de Janeiro. Os R$ 3 milhões restantes do negócio foram financiados, em parcelas que vão de R$ 18 mil a R$ 21 mil.

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Veja a mansão de R$ 6 milhões comprada por Flávio Bolsonaro. ‘Ele que se explique’, dizem os militares

2 de março de 2021 - 19:37 - Atualizado em 2 de março de 2021 - 22:44

Resumo da matéria

  • Flávio Bolsonaro e a esposa compraram uma mansão de quase R$ 6 milhões em Brasília
  • A mansão tem 1.100 metros quadrados e fica num terreno de 2.500 metros quadrados, em área nobre de Brasília.
  • Flávio pagou R$ 2,87 milhões de entrada e financiou o restante (R$ 3,1 milhões), em 360 parcelas que variam de R$ 18,7 mil e R$ 21,5 mil
  • Flávio responde na justiça processos por lavagem de dinheiro e pelo caso das "rachadinhas", de quando era deputado estadual no RJ.

Depois do escândalo das “rachadinhas”, a riqueza de um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro começa a chamar a atenção. O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), o mais velho dos três rebentos do presidente, acaba de comprar uma mansão em Brasília por R$ 5,97 milhões junto com a esposa, a dentista Fernanda Antunes Bolsonaro. A informação é do site O Antagonista, que descobriu a compra do imóvel. Os militares do governo parecem não ter gostado muito da notícia e, ao serem indagados sobre isto, disseram que “o governo tem que ficar fora disto e o Flávio que se explique“.

A casa fica num condomínio chamado Residencial Ouro Branco, no Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul. A casa tem 1.100 metros quadrados de área construída, num terreno de 2.500 metros quadrados. O novo patrimônio é mais de três vezes o declarado pelo senador na eleição de 2018 (R$ 1,74 milhão).

A casa pertencia ao empresário Juscelino Sarkis. A família Sarkis é dona de uma holding composta por várias empresas, cada uma atuante num ramo diferente, como aços para construção civil, mineração, materiais elétricos, ramo imobiliário, entre outras. Juscelino teria um bom relacionamento com Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal.

Financimento

Conforme O Antagonista apurou junto ao cartório que fez o registro do negócio, Flávio pagou R$ 2,87 milhões de entrada e financiou o restante (R$ 3,1 milhões no Banco de Brasília, instituição pública sob autoridade do governador do Distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha), em 360 parcelas que variam de R$ 18,7 mil e R$ 21,5 mil, ao juros de 3,65% ao ano.

Pelas regas do sistema financeiro habitacional vigentes, seria impossível a qualquer outra pessoa conseguir um financiamento como este, visto que, por lei, nenhuma parcela de financiamento deve consumir mais que 30% da renda da família. O salário líquido de Flávio, como deputado, é de R$ 25 mil. A renda dele precisar ser superior a R$ 46 mil, para poder pagar uma parcela de R$ 18 mil.

O 4º Ofício de Brazlândia (região administrativa do Distrito Federal), afirma o site, teria rasurado os valores referentes à composição da renda de Flávio e da esposa Fernanda. Apesar da rasura, o cartorário disse que comunicou o negócio ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), órgão do governo federal que controla operações financeiras de altos valor; além de comunicar Receita Federal e o Tribunal de Justiça, já que Flávio, por ser deputado, é figura pública.

Em nota à imprensa, o senador afirmou que a mansão comprada em Brasília foi comprada com recursos próprios, em especial oriundos da venda de seu imóvel no Rio de Janeiro. O imóvel em questão é o apartamento que o senador morava antes de se mudar para Brasília e fica de frente para a praia da Barra da Tijuca, área nobre do Rio de Janeiro. Um relatório do Coaf apontou que parte das prestações do imóvel, numa soma de R$ 295 mil, vieram de depósitos sem origem identificada nas contas de Flávio e da esposa.

Além do apartamento, Flávio seria dono de uma sala comerciam num shopping no Rio de Janeiro, além de sua participação societária numa loja de chocolates no mesmo shopping.

Rachadinha e lavagem de dinheiro

Flávio tem sido uma “pedra no sapato” do pai. Logo que Jair assumiu a presidência da República, veio à tona o escândalo das “rachadinhas“. Flávio é acusado de tomar parte dos salários dos servidores de seu gabinete, quando era deputado estadual no Rio de Janeiro. O processo ainda está em trâmite na Justiça.

Depois disto, surgiu a denúncia de que o senador estava lavando dinheiro através da loja de chocolates que ele é sócio. Um relatório do Coaf apontou que Flávio fazia movimentações financeiras intensas na conta de seu ex-assessor, Flávio Queiroz, que seria o operador de todo o esquema da rachadinha no gabinete de Flávio.

Conforme as investigações, Flávio teria comprado 19 propriedades nos últimos 16 anos (período que coincide com os seus quatro mandatos políticos), o que fez o patrimônio dele crescer em quase 400%.

Conheça a mansão:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.