Notícias

“Ninguém quer que isto ocorra”, declara Traiano sobre proposta de acabar com municípios

Prefeitos e deputados estaduais do Paraná se posicionaram contra a proposta do Governo Federal

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações do repórter Eduardo Scola da RIC Record TV, Curitiba
“Ninguém quer que isto ocorra”, declara Traiano sobre proposta de acabar com municípios
(Foto: Pedro de Oliveira/Alep)

14 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 14 de fevereiro de 2020 - 00:00

A proposta do Governo Federal de acabar com os municípios com menos de 5 mil habitantes e com arrecadação própria menor que 10% da receita total, não foi vista com bons olhos pelos prefeitos e deputados estaduais do Paraná. Nesta quarta-feira (12) foi realizada uma audiência pública na Assembléia Legislativa do Paraná (Alep) e o presidente Ademar Traiano (PSDB) também se posicionou contrário à proposta.

“A mudança é radical quando da transformação de distritos para municípios. O atendimento a população é totalmente diferente. Ninguém quer, de forma alguma, que isto ocorra”, declarou Traiano.

A proposta da PEC 188/2019, do Pacto Federativo, é que os municípios sejam incorporados por cidades vizinhas em 2025, o que significa que não haveria sequer eleição local em 2024.

“Teremos cidades abandonadas por todo Brasil”

A proposta também não aceita pela Associação de Municípios da Região Metropolitana de Curitiba. O presidente, Márcio Wosniak, garantiu que a decisão gerar migrações e cidades serão abandonadas.

“A extinção destes municípios, conforme a gente tem analisado alguns números, vai trazer muito mais problemas. São cidades distantes, cidades grandes, que se extintas vão ficar a 100 quilômetros distante do seu município sede. Irá causar uma baixa estima na população, uma migração muito grande dessas pessoas para as cidades mães. Teremos cidades abandonadas por todo nosso Brasil”, contou Wosniak.

Entre os representantes da Alep, o deputado estadual Luiz Romanelli (PSB) foi convicto contra a proposta. Para o parlamentar, é “uma falta de respeito”.

“Nós estamos falando de uma proposta estapafúrdia, uma falta de respeito, com os quase meio milhão de paranaenses que moram nestas 104 cidades. Eu não conheço nenhum distrito que tenha virado município que tenha ficado em pior situação do que quando estava como distrito. Todos eles prosperaram”, declarou Romanelli.

Confira mais informações:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.