Política

Supremo forma maioria para anular delação de ex-governador Sergio Cabral firmada com a PF

Em nota, Toffoli afirmou, por meio da assessoria, não ter conhecimento dos fatos mencionados

Reuters
Reuters
Supremo forma maioria para anular delação de ex-governador Sergio Cabral firmada com a PF
Ex-governador Sergio Cabral

27 de maio de 2021 - 18:15 - Atualizado em 27 de maio de 2021 - 21:25

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) formaram nesta quinta-feira (25) maioria para rejeitar a delação do ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral, que foi alvo da operação Lava Jato e implicou uma série de autoridades com suas declarações, entre elas o ministro da Corte Dias Toffoli.

A corrente majoritária se manifestou contra um acordo de colaboração premiada firmado exclusivamente pela Polícia Federal (PF) sem a participação do Ministério Público Federal. Há duas semanas, o ministro Edson Fachin já havia rejeitado pedido da PF para que a corte abrisse um inquérito contra o ministro Dias Toffoli após ter sido acusado, nessa delação de Cabral, de receber supostamente recursos ilegais em troca de sentenças, conforme reportagem da Folha de S. Paulo.

Em nota, Toffoli afirmou, por meio da assessoria, não ter conhecimento dos fatos mencionados e disse que jamais recebeu os supostos valores ilegais. O ministro refutou a possibilidade de ter atuado para favorecer qualquer pessoa no exercício de suas funções.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.