Política

Despedida a Rubens Recalcatti: amigos e familiares participam de velório e enterro

Ex-delegado da Polícia Civil faleceu na noite desta sexta-feira (9) após infarto fulminante

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações da repórter Daniela Sevieri da RIC Record TV

10 de abril de 2021 - 14:41 - Atualizado em 10 de abril de 2021 - 14:55

Familiares e amigos de Rubens Recalcatti acompanharam neste sábado (10) o velório e enterro do deputado estadual e ex-delegado da Polícia Civil. O parlamentar faleceu por volta das 19h30 desta sexta-feira (9), após sofrer uma parada cardíaca. Recalcatti era natural de Santa Catarina, mas morava em Curitiba há 42 anos. O ex-delegado deixa dois filhos.

Em uma cerimônia restrita apenas a pessoas mais próximas, o velório de Recalcatti ocorreu na manhã deste sábado (10) na Capela do Vaticano, na Sala Jade, em Curitiba. Por volta das 12h, os amigos participaram de uma cerimônia de despedida e na sequência um cortejo levou o corpo até o Cemitério de Santa Felicidade.

“A Polícia Civil vai sentir muita falta dele, a comunidade também, e os amigos em especial. Vai ficar um vácuo grande que dificilmente será preenchido. Mas a vida segue”,

contou o advogado e amigo Antônio Henrique Rabello de Mello, em palavras emocionadas.

Recalcatti tinha 72 anos, trabalhou por 23 anos como delegado no Paraná, e atuava em defesa dos direitos dos profissionais de segurança pública. Ainda na noite de sexta, o governador Carlos Massa Ratinho Junior prestou sua homenagem ao político e decretou luto oficial.

“É uma perda imensa para o Paraná. O deputado sempre defendeu a sociedade e os profissionais da segurança pública com muita dedicação. A todos os seus familiares e amigos, meus profundos sentimentos”, afirmou Ratinho Junior.

Carreira de Rubens Recalcatti

Rubens Recalcatti nasceu em 23 de outubro de 1948, em Videira (SC). Filho de família numerosa, de oito irmãos de sangue e quatro adotados, mudou-se ainda criança com os pais, Jacob e Maria, para Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná. Em plena época de colonização da região, seu pai atuou como delegado na cidade e participou da Revolução dos Colonos, de 1957. Seguindo o exemplo dele, Recalcatti prestou concurso para a Polícia Civil em 1979. Casou-se com Leonice em 1976, em Curitiba, com quem teve dois filhos, Filipe (cursando Direito) e Heloisa (formada em Psicologia). A família reside em Curitiba há 42 anos.

Conforme a assessoria do parlamentar, Recalcatti tomou posse como deputado estadual do Paraná em 2 de maio de 2017. Eleito suplente em outubro de 2014, com 40.358 votos, ficou em quarto lugar na chapa do Partido Social Democrático (PSD), tendo ocupado a vaga deixada pelo atual prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, também do PSD. Foi reeleito deputado estadual pelo PSD, em 07 de outubro de 2018, com 35.348 votos.

Porém foi na Polícia Civil que Recalcatti fez carreira e ficou conhecido da população. Concursado em 1994, atuou durante 23 anos em diversos municípios do Paraná, como União da Vitória e Araucária, e em várias Delegacias de Curitiba. Entre elas, as de Furtos e Roubos e de Homicídios. Conduziu diversas investigações de grande repercussão na sociedade paranaense, destacando-se como policial de linha de frente, sem papas na língua e muito ativo nas lides do ofício.

Ingressou na Polícia Civil em 1979, como agente investigador, carreira em que atuou durante 16 anos. Formado em Estudos Sociais pela PUC e em Direito pela UniCuritiba. É coautor do livro “Sequestro – Modus Operandi e Estudos de Casos” (Editora Nova Letra/2004), que assinou com  a advogada e escritora Noely Manfredini, falecida em 2012. Concorreu pela primeira vez a deputado estadual em 2010, pelo PV. Está filiado ao PSD desde 2011. Foi reeleito deputado estadual nas eleições de 7 de outubro de 2018, com 35.248 votos.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.