Política

Presidentes de 8 partidos expressam “total confiança” em sistema eleitoral do país

Bolsonaro afirmou nesta semana que as eleições do ano que vem podem não acontecer caso não seja adotado o voto impresso

Reuters
Reuters
Presidentes de 8 partidos expressam “total confiança” em sistema eleitoral do país
Urnas eletrônicas em Curitiba

10 de julho de 2021 - 14:05 - Atualizado em 10 de julho de 2021 - 14:15

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) – Os presidentes de oito partidos assinaram nota divulgada neste sábado (10) na qual manifestam “total confiança” no sistema eleitoral brasileiro de voto eletrônico e defendem “de forma intransigente” o direito ao voto, após o presidente Jair Bolsonaro ameaçar nesta semana a realização da eleição do ano que vem.

“Temos total confiança no sistema eleitoral brasileiro, que é moderno, célere, seguro e auditável. São as eleições que garantem a cada cidadão brasileiro o direito de escolher livremente seus representantes e gestores”, afirma a nota assinada pelos presidentes de DEM, MDB, PSDB, Novo, PV, PSL, Solidariedade e Cidadania.

“Sempre vamos defender de forma intransigente esse direito, materializado no voto. Quem se colocar contra esse direito de livre escolha do cidadão terá a nossa mais firme oposição.”

Nesta semana, Bolsonaro afirmou que as eleições do ano que vem, quando deverá buscar a reeleição, podem não acontecer caso não seja adotado o voto impresso, defendido e atualmente em discussão na Câmara dos Deputados.

O presidente afirma, sem apresentar provas, que o sistema de voto eletrônico não é auditável e alega que é sujeito a fraudes. Desde a adoção da urna eletrônica em 1996 nunca foi comprovada uma fraude na eleição.

Bolsonaro afirma ainda ter provas de fraude nas eleições de 2018, alegando que venceu o pleito no primeiro turno, e chegou a dizer que apresentaria essas alegadas evidências que diz possuir.

Além de jamais apresentar essas supostas provas, o presidente também disse recentemente, após ser instado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a apresentar as alegadas evidências de fraude, que as mostraria “se quisesse”.

Bolsonaro tem aparecido com grande desvantagem para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas pesquisas de intenção de voto paras as eleições marcadas para outubro do ano que vem.