Marcelo Campelo
Justiça

Por Marcelo Campelo

Política
Marcelo Campelo

Saudades dos Bancos Universitários – Gratidão aos Mestres

Um pequeno artigo para homenagear o dia dos professores

Saudades dos Bancos Universitários – Gratidão aos Mestres

15 de outubro de 2020 - 08:02 - Atualizado em 26 de outubro de 2020 - 19:03

Depois de vinte anos de formado vejo como foram maravilhosos os cinco anos passados na Universidade de Direito. Gostaria de homenagear os meus queridos mestres neste dia 15 de outubro por tudo que me ensinaram e pelo amor à profissão que exerço hoje.

Como a maioria dos jovens eu não sabiam valorizar o quão importante era aquele momento para minha vida, o que nã significa que não deixei de estudar. Isso o fiz com afinco, pois aprendi desde pequeno o valor dos livros e da educação com meus pais e avós que sempre tinham a mão uma leitura nova.

O que quero dizer é que realmente poderia ter aproveitado mais a sabedoria de cada um dos mestres, pois cada um trazia uma bagagem profissional diversa, além do conhecimento técnico. Alguns, tinham um conhecimento mais acadêmico, outros, profissionais renomados da advocacia, traziam uma experiência de litígios em casos polêmicos, e, ainda, haviam outros, cuja carreira teria sido no Ministério Público e na Magistratura, na quais teriam passado por concursos, trabalhados em pequenas comarcas, julgado ou participado de diversos casos, além da experiência no serviço público.  Assim, uma sopa de experiências à disposição. 

Lembro-me do primeiro ano, cujas matérias jurídicas propriamente ditas eram poucas, podendo dizer apenas uma, direito civil, e o restante, matérias de apoio, como introdução ao estudo do direito, direito romano, sociologia jurídica, filosofia jurídica cuja importância à época, na minha pouca experiência eram diminutas. Enfim, a vida ensina. Nos meus primeiros estágios, aprendi na vida real a importância de cada uma delas, quanto à introdução ao estudo do direito tive que buscar os livros para elaborar as defesas na parte relativa à interpretação das leis, e, como trabalho com direito criminal, sociologia jurídica e filosofia são as bases da doutrina e, petições, sentenças acórdão sempre contém termos latinos oriundos do direito romanom por isso não há como não estudá-los.

Outros momentos marcantes durante a Universidade são as provas, pois por mais que vocÊs se organize e mantenha seu estudo em dia parece que nunca é suficiente, existe sempre mais conteúdo que o humanamente possível de se ler e estudar. Noites e finais de semana mergulhados em doutrinas, resumos, cadernos, livros, enfim, todo o material possível para responder as provas de todo o tipo, desde as múltipla escolha, questões práticas, com consulta, sem consulta e as temidas provas orais, estas sim testavam o conhecimento. 

Os anos na faculdade de direito foram deslumbrantes e só posso agradecer aos meus queridos professores pelos ensinamentos e pela paciência conosco, pois éramos jovens e mais idealistas.