Marcelo Campelo
Justiça

Por Marcelo Campelo

Política
Marcelo Campelo

Coronavírus – Ânimos a Flor da Pele

Coronavírus – Ânimos a Flor da Pele

13 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 5 de junho de 2020 - 11:49

    Neste dias de afastamento social, confinamento, quarentena, como cada um queira chamar, mas o que significa ao fianl é que todos estão em casa e convimento durante praticamente um mês dentro de casa.    

    Tomemos o exemplo de uma familia de pais,mãe e dois filhos. Nem em época de férias existe uma convivência tão próxima, pois meso se a família viaja, quando tem condições, acabom por dse divertir, fazer atividades, o que não esta acontecendo nesse momento. Essa familia nunca conviveu tanto tempo junto no mesmo ambiente, por isso dos desentendimentos.

    No entanto, a situação da população brasileira a realizadade é de várias pessoas conviverem nos mesmo ambiente, por exemplo três gerações numa casa, vô , vó, filhos e netos, que se encontra, à noite após um dia de trabalho.  Agora, estão todos abaixo do mesmo teto, 24 horas por dia, sem dinheiro e sem perspectiva. COm certeza os ânimos irão aflorar e o caldeirão vaza.

    Notícia publicada em veículo de comunicação de nossa capital,  noticia crimee cometido por filho contra pai. Um filho matou o pai a facadas após discussão. Não se sabe a causa, e provavelmente nunca se saberá, mas muito provavelmente a convivência excessiva exaltou os ânimos. 

    Outro meio de comunicação informou que as  brigas de condomínio aumentaram e os síndicaos estão trabalhando como nunca, pois as famílias estão convivendo todos os dias juntos nos condomínios, de maneira forçada. NOs primeiros dias as coisas iam bem, no entanto com o passar da semana aquele choro da criança do andar de baixo, bem como a vizinha do andar de cima que resaolveu pular corda bem cedo, já não são mais táo agradáveis e discussões podem surgir. 

    O que fazer? Também não sei, mas torço para que as pessoas se entendam e todos tenham paciência e empatia para que as coisas não saiam do controle.   

    Neste dias de afastamento social, confinamento, quarentena, como cada um queira chamar, mas o que significa ao fianl é que todos estão em casa e convimento durante praticamente um mês dentro de casa.    

    Tomemos o exemplo de uma familia de pais,mãe e dois filhos. Nem em época de férias existe uma convivência tão próxima, pois meso se a família viaja, quando tem condições, acabom por dse divertir, fazer atividades, o que não esta acontecendo nesse momento. Essa familia nunca conviveu tanto tempo junto no mesmo ambiente, por isso dos desentendimentos.

    No entanto, a situação da população brasileira a realizadade é de várias pessoas conviverem nos mesmo ambiente, por exemplo três gerações numa casa, vô , vó, filhos e netos, que se encontra, à noite após um dia de trabalho.  Agora, estão todos abaixo do mesmo teto, 24 horas por dia, sem dinheiro e sem perspectiva. COm certeza os ânimos irão aflorar e o caldeirão vaza.

    Notícia publicada em veículo de comunicação de nossa capital,  noticia crimee cometido por filho contra pai. Um filho matou o pai a facadas após discussão. Não se sabe a causa, e provavelmente nunca se saberá, mas muito provavelmente a convivência excessiva exaltou os ânimos. 

    Outro meio de comunicação informou que as  brigas de condomínio aumentaram e os síndicaos estão trabalhando como nunca, pois as famílias estão convivendo todos os dias juntos nos condomínios, de maneira forçada. NOs primeiros dias as coisas iam bem, no entanto com o passar da semana aquele choro da criança do andar de baixo, bem como a vizinha do andar de cima que resaolveu pular corda bem cedo, já não são mais táo agradáveis e discussões podem surgir. 

    O que fazer? Também não sei, mas torço para que as pessoas se entendam e todos tenham paciência e empatia para que as coisas não saiam do controle. 

   Marcelo Campelo / Advogado criminalista