Marc Sousa

TRT multa Sindicato dos Trabalhadores em R$650 mil por descumprimento de ordem

TRT já havia proibido e constatado sindicalistas agindo de forma violenta com pessoas ligadas as empresas

Marc
Marc Sousa / Colunista
TRT multa Sindicato dos Trabalhadores em  R$650 mil por descumprimento de ordem

16 de setembro de 2021 - 17:08 - Atualizado em 16 de setembro de 2021 - 22:26

O Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (TRT) multou o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba em R$650.000 porque manifestantes impediram a entrada de colaboradores de uma empresa da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) para trabalhar. O órgão aponta que esse tipo de ação – ocorrida em agosto deste ano- já havia sido proibida em decisão judicial anterior.

Através de registros feitos pelos próprios trabalhadores coagidos, é possível notar sindicalistas agindo de forma violenta e ameaçadora, o que acaba obrigando o motorista que os levava até o local a ter que fazer o retorno. (Assista abaixo)

“Eles vieram aqui colocaram o carro de som na frente, não deixaram o pessoal entrar”,

conta Afranio Andrade, diretor da Omeco, empresa afetada pela manifestação.

De acordo com uma decisão judicial estabelecida em 3 e 9 de setembro pelo TRT, tais situações já haviam sido proibidas. Em ambos os despachos, o TRT definiu que o sindicato não tinha a autorização para impedir ou até mesmo dificultar o acesso a empresa de trabalhadores, além de obrigatoriamente terem que se manter pelo menos a 10 metros de distância do portão de entrada nos horários de início e término de jornada.

Nos dois documentos foram citados boletins de ocorrência que comprovavam o impedimento da entrada dos trabalhadores anteriormente. Um destes boletins pertencia a duas oficiais de justiça que estiveram presentes na manifestação e confirmaram a desobstrução da ordem judicial. Em tais reinvindicações, foi até mesmo constatado que o advogado de uma das empresas foi coagido e até agredido pelos manifestantes.

“Tivemos agressões sérias. Sindicato nos coagiu. Felizmente, parece que teve um reflexo”,

conclui Afranio.

Pela manhã, a Polícia Militar esteve na porta da empresa, fazendo um corredor para auxiliar a entrada dos funcionários sem problemas. A tarde, no entanto, os colaboradores tiveram dificuldades em entrar no local porque não houve o auxílio da PM, disse um dos funcionários.

Assista aos registros: