Marc Sousa
Fala Marc!

Por Marc Sousa

Política
Marc Sousa

Maioria da bancada paranaense é favorável ao voto impresso

Mais da metade da bancada quer implantar o sistema de “voto auditável”, que permite uma recontagem com cédulas impressas em caso de suspeitas de fraude. Veja como se posiciona cada um dos parlamentares

Maioria da bancada paranaense é favorável ao voto impresso
Antonio Augusto/Ascom/TSE

7 de julho de 2021 - 17:58 - Atualizado em 7 de julho de 2021 - 18:20

Dezessete dos 30 deputados federais do Paraná são favoráveis ao voto impresso. Sete parlamentares são contra a proposta e 6 alegam que ainda não decidiram como irão se posicionar. Entre os 3 senadores, 2 também dizem que não fecharam questão sobre o assunto. O levantamento foi feito pelo jornalismo do Grupo RIC, abaixo você pode acompanhar o que pensa cada um dos parlamentares.

Os paranaenses tem tido um papel importante na discussão. Os deputados Paulo Martins (PSC) e Filipe Barros (PSL), respectivamente, presidente e relator da comissão, comandaram o debate até agora na Comissão Especial que discute a proposta de emenda à Constituição que institui o chamado “Voto Auditável”. A PEC 135/2019 foi redigida pela deputada federal Bia Kicis (PSL-DF).

A discussão foi puxada pelo presidente Jair Bolsonaro, que acusa o modelo atual de não ser confiável e alega que houve fraudes na votação de 2018. O projeto prevê que os números que cada eleitor digita na urna eletrônica sejam impressos e que os papéis sejam depositados de forma automática numa urna de acrílico. A ideia é que, em caso de acusação de fraude no sistema eletrônico, os votos em papel possam ser apurados manualmente.

Veja como se posicionam os deputados federais e senadores do Paraná sobre o tema:

DEPUTADOS FEDERAIS

FAVORÁVEIS
Aline Sleutjes (PSL-PR) – A FAVOR
Aroldo Martins (REPUBLICANOS-PR) – A FAVOR
Boca Aberta (PROS-PR) – A FAVOR
Christiane de Souza Yared (PL-PR) – A FAVOR
Diego Garcia (PODE-PR) – A FAVOR
Evandro Roman (PATRIOTA-PR) – A FAVOR
Felipe Francischini (PSL-PR) – A FAVOR
Filipe Barros (PSL-PR) – A FAVOR
Fernando Giacobo (PL-PR) – A FAVOR
Luiz Nishimori (PL-PR) – A FAVOR
Paulo Eduardo Martins (PSC-PR) – A FAVOR
Pedro Lupion (DEM-PR) – A FAVOR
Reinhold Stephanes Junior (PSD-PR) – A FAVOR
Ricardo Barros (PP-PR) – A FAVOR
Sargento Fahur (PSD-PR) – A FAVOR
Toninho Wandscheer (PROS-PR) – A FAVOR
Vermelho (PSD-PR) Em exercício – A FAVOR

CONTRA
Enio Verri (PT-PR) – CONTRA
Gleisi Hoffmann (PT-PR) – CONTRA
Gustavo Fruet (PDT-PR) – CONTRA
Luizão Goulart (REPUBLICANOS-PR)  – CONTRA
Rubens Bueno (CIDADANIA-PR) – CONTRA
Valdir Rossoni (PSDB-PR) – CONTRA
Zeca Dirceu (PT-PR) – CONTRA

INDEFINIDO
Aliel Machado (PSB-PR) – INDEFINIDO
Hermes Parcianello (MDB-PR) – INDEFINIDO
Leandre (PV-PR) Em exercício – INDEFINIDA
Luciano Ducci (PSB-PR) Em exercício – INDEFINIDO
Luisa Canziani (PTB-PR) Em exercício – INDEFINIDA
Sergio Souza (MDB-PR) Em exercício – INDEFINIDO

SENADORES

Álvaro Dias (Podemos) – Indefinido
Flávio Arns (Podemos) – Indefinido
Oriovisto Guimarães (Podemos) – Não respondeu

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), responsável pela organização das votações brasileiras, é contra a proposta. “Desde que foi adotada, em 1996, a urna eletrônica já contabiliza 13 eleições gerais e municipais, além de um grande número de consultas populares e pleitos comunitários, sempre de forma bem-sucedida, sem qualquer vestígio ou comprovação de fraude”, afirma o TSE em nota.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.