Jeulliano Pedroso
Estratégia Política

Por Jeulliano Pedroso

Política
Jeulliano Pedroso

Confira os principais fatos políticos de 2020

Este ano foi marcado pela pandemia do Covid-19, crises ambientais e cenários político e econômico instáveis. Confira a retrospectiva com as principais notícias mês a mês.

Confira os principais fatos políticos de 2020

31 de dezembro de 2020 - 10:36 - Atualizado em 31 de dezembro de 2020 - 12:37

Ao olhar retrospectivamente para o ano de 2020, somos convidados a reconhecer a instabilidade de nossos planejamentos e que nossas certezas podem ruir muito rapidamente. Mas este olhar também nos permite perceber melhor nossas prioridades, tanto das pessoais e familiares, quanto de nossas escolhas políticas. Afinal, em momentos de inflexão somos levados a questionar realmente quais são as características que esperamos de nossos governantes. 

O ano de 2020 foi extremamente duro e irá marcar profundamente nossa geração, tanto pela dor sofrida dos que perderam seus entes queridos por conta da pandemia do Covid-19, quanto pelo aprendizado conquistado e pela esperança que nos aquece o coração. Espero que este breve panorama nos ajude a relembrar um pouco os fatos que vivemos e a reforçar estas lições.

Com isso em mente, desejo a todos um ótimo 2021, com muitas alegrias e menos sofrimentos.

Os principais fatos de janeiro:

  1. A atriz Regina Duarte aceitou o convite para assumir o cargo de Secretária Nacional da Cultura;
  2. No final do mês de janeiro a OMS declarou como emergência de saúde pública e de interesse internacional os casos de coronavírus registrados na China;
  3. A pesquisa Datafolha apontou queda de 69% para 62% dos brasileiros que acreditam na democracia como a melhor forma de governo.

Os principais fatos de fevereiro:

  1. A OMS eleva para muito alto o risco de transmissão global do novo coronavírus;
  2. Acontecem trocas Ministeriais. Onyx Lorenzoni, então ministro da Casa Civil, substituiu Osmar Terra no Ministério da Cidadania e Walter Braga Netto assume o cargo na Casa Civil;
  3. A Polícia Militar do Ceará entrou em greve, fato proibido pela Constituição Federal. O movimento foi protagonizado por oficiais encapuzados e durante as negociações foi crescente a tensão com o governo. Cid Gomes, irmão do candidato à presidência em 2018, Ciro Gomes, entrou em conflito com alguns policiais e chegou a ser baleado. Além disso, o número de assassinatos disparou no estado durante o motim protagonizado pelos policiais;
  4. No cenário internacional os Estados Unidos realizavam as eleições primárias. Joe Biden e Bernie Sanders intensificaram disputa para definir quem enfrentaria Donald Trump;
  5. O Ministério da Saúde confirmou em fevereiro o primeiro caso de um brasileiro infectado pelo coronavírus. Tratava-se de um homem de 61 anos, morador de São Paulo, que foi contaminado no período em que esteve na Lombardia, norte da Itália;
  6. O governo brasileiro, em operação que gerou grande repercussão, anunciou que iria repatriar os brasileiros presentes na região original da pandemia na China.

Os principais fatos de março:

  1. Na primeira quinzena de março, dia 12, o Paraná confirmou os primeiros casos de contaminação pelo coronavírus no Estado e na capital Curitiba;
  2. O governo do Paraná anunciou as primeiras medidas de restrição que reduziam o horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais, orientavam para o isolamento social e para a redução sistemática de aglomerações. Aos poucos, empresas, comércios e até atividades esportivas foram sendo paralisadas;
  3. Em São Paulo foi confirmada a primeira morte por coronavírus no país;
  4. Em 28 de março o boletim informativo da Secretaria Estadual de Saúde registrou as primeiras mortes por coronavírus;
  5. Apoiadores do presidente foram às ruas protestar contra o congresso nacional. Um dos principais intuitos era dar força ao presidente diante do Congresso, no entanto, alguns cartazes anti-democráticos geraram grande polêmica no cenário nacional.
  6. No dia 20 de março o Senado Federal aprovou o decreto de Estado de Calamidade no Brasil;
  7. O Ministério da Educação autorizou, inicialmente por 30 dias, a substituição de aulas presenciais por aulas a distância em todo o país;
  8. No dia 11 de março a OMS decretou que o coronavírus atingiu o estado de pandemia global;
  9. As Olimpíadas de Tóquio foram adiadas para 2021.

Os principais fatos de abril:

  1. Foi aprovada no Congresso a renda básica para auxílio de trabalhadores e de pessoas em situação de vulnerabilidade, chamado de Auxílio Emergencial; 
  2. O então Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, entrou em rota de colisão com o Presidente da República e não foi mantido no cargo;
  3. Um dos pilares da eleição de 2018 e do atual governo, o ex-juiz Sérgio Moro pediu demissão pouco depois da saída de Mandetta. Moro saiu do governo acusando o atual presidente de interferência política na polícia federal com a intenção de proteger seus filhos;
  4. Os Estados Unidos acusaram a China de esconder informações e, portanto, prejudicar o conhecimento global sobre o potencial de pandemia do novo coronavírus.

Os principais fatos de maio:

  1. Paraná decretou estado de emergência hídrica devido a forte estiagem;
  2. Depois de deixar o governo Sérgio Moro prestou depoimento sobre as acusações que fez contra o Presidente da República;
  3. Ainda em meio a crise entre Moro e o presidente, o STF autorizou a liberação do vídeo da reunião ministerial que o ex-juiz citou como prova contra o presidente;
  4. Após a saída de Henrique Mandetta do Ministério da Saúde em 16 de abril, o escolhido para ser seu substituto, Nelson Teich, exonerou-se do cargo após 27 dias no comando da pasta;
  5. Duas operações da Polícia Federal chamaram a atenção no mês de maio. Uma delas revelou escândalos envolvendo o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. A outra envolvia investigações a respeito das disseminações de notícias falsas, em que alguns dos alvos eram blogueiros apoiadores do presidente da república;
  6. No dia 25 de maio a morte do norte-americano, George Floyd, em ação policial violenta nos Estados Unidos, desencadeou protestos pelo país que tiveram repercussões internacionais, incluindo o Brasil.

Os principais fatos de junho:

  1. Após as primeiras confirmações de óbitos pela Covid-19 em março, o Paraná terminou junho ultrapassando 600 vítimas fatais da doença;
  2. Abraham Weintraub deixou o Ministério da Educação e foi indicado ao Banco Mundial;
  3. Fabrício Queiroz foi encontrado no dia 18 de junho em um sítio na cidade de Atibaia;
  4. No dia 10 de junho, a atriz Regina Duarte foi exonerada do cargo na Secretaria de Cultura.

Os principais fatos de julho:

  1. Devido a pandemia do coronavírus o Congresso Nacional oficializou o adiamento das eleições municipais para novembro de 2020;
  2. O governo federal sancionou a lei que tornou obrigatório o uso de máscaras em todo o território nacional como medida de prevenção ao coronavírus;
  3. O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) foi adiado para o começo de janeiro de 2021;
  4. O Presidente da República afirmou, no dia 06 deste mês, ter contraído a Covid-19.

Os principais fatos de agosto:

  1. Reforçando aliança com o centrão o presidente fez uma troca na liderança da Câmara Federal substituindo Major Vitor Hugo (PSL) por Ricardo Barros (PP);
  2. Alvo de investigações, Wilson Witzel é afastado do cargo de governador do Rio de Janeiro;
  3. A Rússia anunciou a produção de sua vacina contra a Covid-19 chamada de Sputnik V;
  4. Ocorrem as convenções partidárias nos EUA e a disputa fica consolidada entre Biden/Harris X Trump/Pence.

Os principais fatos de setembro:

  1. Luiz Fux se tornou o novo presidente do STF;
  2. O prefeito Rafael Greca e a primeira dama foram diagnosticados com a Covid-19. Ambos precisaram ser internados;
  3. Terminaram de ser realizadas as convenções partidárias que definiram candidatos a prefeitos e vereadores em todo o Brasil;
  4. Em Curitiba Gustavo Fruet e Ney Leprevost ficaram de fora da disputa pela prefeitura. O primeiro deu lugar à candidatura de Goura (deputado estadual – PDT) e o segundo pertence ao PSD que costurou uma aliança de apoio ao prefeito Greca;
  5. Também neste mês entrou em circulação a nota de R$ 200, a primeira lançada no país desde 2002;
  6. O PIB brasileiro, afetado pela pandemia do coronavírus, teve uma queda de 9,7% em relação aos 3 primeiros meses do ano;
  7. O procurador Deltan Dallagnol oficializou a saída da operação Lava-Jato.

Os principais fatos de outubro:

  1. Os paranaenses votaram para decidir pela implementação ou não de escolas cívico-militares no estado;
  2. O Brasil superou 150 mil mortes por coronavírus;
  3. As queimadas no Pantanal bateram recorde negativo com o registro de mais de 8 mil focos de calor;
  4. O IBGE registrou uma taxa de desemprego de 14,3% da população.
  5. No segundo dia de outubro o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi hospitalizado após testar positivo para o coronavírus.

Os principais fatos de novembro:

  1. Joe Biden foi eleito presidente dos EUA vencendo Donald Trump;
  2. Também tivemos eleições municipais em todo o Brasil, exceto no Macapá que sofreu com a ausência de luz e teve suas eleições adiadas para dezembro;
  3. Em Curitiba, Rafael Greca, que liderou as pesquisas eleitorais, venceu. Ele foi eleito para seu terceiro mandato como prefeito;
  4. Na Câmara Municipal 20 dos 38 vereadores conquistaram um novo mandato e 18 foram eleitos pela primeira vez;
  5. No final do mês o futebol se despediu de Diego Maradona. O craque argentino faleceu aos 60 anos.

Os principais fatos de dezembro:

  1. As eleições municipais foram realizadas em Macapá;
  2. O Brasil fez o lançamento de seu programa de vacinação e prevê o início para janeiro;
  3. O STF decidiu que pessoas que não se vacinarem poderão sofrer sanções ou terem alguns direitos restringidos;
  4. O Congresso Nacional aprovou a regulamentação do novo Fundeb;
  5. Grupo de Rodrigo Maia indica Baleia Rossi como candidato à presidência da Câmara Federal, contando com apoio de partidos de esquerda;
  6. Curitiba faz acordo para receber doses da coronavac;
  7. Eleições para diretores dos colégios estaduais do Paraná foram suspensas devido a pandemia do coronavírus;
  8. Curitiba aprova lei que prevê multas para quem descumprir medidas anti-covid.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.