Eleições 2020

Pré-candidata à Prefeitura de Curitiba Letícia Lanz defende que cidade precisa ser repensada: “Centros vão virar cemitérios”

Representante do PSOL pretende uma gestão de sustentabilidade com foco nas pessoas

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Pré-candidata à Prefeitura de Curitiba Letícia Lanz defende que cidade precisa ser repensada: “Centros vão virar cemitérios”
(FOTO: REPRODUÇÃO/ JOVEM PAN)

12 de agosto de 2020 - 10:24 - Atualizado em 12 de agosto de 2020 - 10:24

A psicanalista Letícia Lanz, que é pré-candidata à Prefeitura de Curitiba pelo PSOL, participou na manhã desta quarta-feira (12) do programa Jornal da Manhã Paraná, da rádio Jovem Pan. A mestre em sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) defende uma gestão com foco nas pessoas e que experiência política não pode ser considerada como um diferencial.

“Experiência, como dizia meu conterrâneo Pedro Nava, é um carro com faróis para trás, só ilumina o que já passou. No mundo de hoje experiência está valendo muito pouco, tanto é que as pessoas de mais idade que não evoluiram, que não conquistaram novos espaços na tecnologia, estão completamente superadas. O mundo mudou muito desde a segunda metade do século XX, a tecnologia está fazendo todo mundo mudar, mesmo quem odeia mudança”, declarou a pré-candidata

Letícia Lanz reforçou que as cidades e o mundo estão precisando de se reinventar. Segundo a pré-candidata o “mundo está perdido” e é necessário uma gestão com foco nas pessoas.

“A cidade é composta por muitas fatias diferentes de pessoas. Existem pessoas que estão abrigadas, existem pessoas que estão bem alimentadas, mas existem margens que estão na beira das grandes cidades hoje que estão abandonadas. Isso não é por causa da epidemia que nós descobrimos, a gente já sabia, só que estava jogando para debaixo do tapete. O que a realidade agora fez foi nos mostrar que isso era verdade”, comentou.

Cidade abandonada

Apesar de destacar que Curitiba é uma das melhores cidades do mundo, Letícia Lanz enfatizou que a capital está “abandonada” e requer uma solução. “É preciso pensar no problema do tamanho que ele é, e não jogar ele para escanteio”, contou.

A pré-candidata ainda destacou o problema habitacional existente em Curitiba. Segundo ela existe má distribuição de moradias e é necessário um planejamento. Para a psicanalista, ocupar as regiões periféricas não é uma boa alternativa, pois o Centro está ficando ‘desocupado’, e as pessoas precisando fazer grandes deslocamentos.

“A cidade está abandonada, os centros de cidade vão se tornar progressivamente cada vez mais cemitérios. Você passa pelo Centro e pode comprovar o que estou falando. Agora ocupar isso é preciso um planejamento, não é simplesmente pegar um bando de pessoas e botar lá. Se isso está acontecendo é porque não há planejamento, não há discussão, plano diretor que oriente a reocupação dos espaços urbanos”, avaliou.

Em relação ao enfrentamento do coronavírus do atual prefeito, Letícia declarou que não pode opinar sobre o que faria diferente. “Eu não sei. Eu não estou no lugar dele, eu não vejo a realidade como ele, então eu não sei […] não se pode julgar uma pessoa assim”. Confira a entrevista completa:

O Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan Curitiba, entrevistará os principais pré-candidatos a prefeitura da capital paranaense diariamente, a partir das 7h, até o dia 14 de agosto. As entrevistas serão conduzidas pelos jornalistas Marc Sousa, Rafaela Moron e Djonatas Terribas. Confira: