Política

Bolsonaro come pizza na calçada em Nova York; EUA exige vacinação para entrar em restaurantes

De pé, em uma calçada, Bolsonaro foi flagrado comendo pizza com outros ministros

Reuters
Reuters
Bolsonaro come pizza na calçada em Nova York; EUA exige vacinação para entrar em restaurantes
Bolsonaro e ministros comem pizza em calçada na cidade de Nova York

20 de setembro de 2021 - 13:50 - Atualizado em 20 de setembro de 2021 - 15:23

(Reuters) – Depois de chegar a Nova York no final da tarde de domingo (19) para participar da Assembleia-Geral das Nações Unidas, o presidente Jair Bolsonaro saiu para comer uma pizza com ministros e outros membros da comitiva -de pé, em uma calçada, próximo ao hotel que está hospedado.

Sem ter tomado a vacina contra Covid-19, Bolsonaro não pode frequentar a parte fechada de restaurantes, bares ou lojas, já que a legislação da cidade norte-americana exige a apresentação de um comprovante de vacinação com as duas doses. Ministros do governo, no entanto, atribuem a cena inusitada à “simplicidade” do presidente.

O local escolhido vende pizzas em fatias, servidas em guardanapos de papel. Apesar das dificuldades que o presidente enfrentaria ao jantar fora do hotel, os ministros que o acompanham alegam que a decisão de comer pizza na calçada foi tomada por Bolsonaro por “simplicidade”.

“O presidente é uma pessoa que gosta de frequentar ambientes mais simples, mesmo no Brasil. A mesma coisa que ele faz lá, ele faz aqui”, disse a jornalistas nesta segunda o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que participou do jantar.

Além de Queiroga, estavam com Bolsonaro o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, os ministros da Secretaria-Geral, Luiz Eduardo Ramos, da Justiça, Anderson Torres, e do Turismo, Gilson Machado, além do secretário de assuntos especiais da presidência, Flávio Rocha. A foto foi postada nas redes sociais por Gilson e por Ramos, e gerou comentários pelo fato de Bolsonaro não estar vacinado e não poder entrar em restaurantes.

“O presidente comeu pizza em pé na calçada porque ele é assim mesmo, simples. O resto é fake news intencional”, defendeu o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que não está na comitiva.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu, em Brasília)