Política

Após relatos de demora de 2h30 na travessia, secretário de Infraestrutura fala sobre ferry boat

Usuários relataram filas de veículos para a travessia no final de semana e espera de até 2h30 para o embarque

Daniela
Daniela Borsuk
Após relatos de demora de 2h30 na travessia, secretário de Infraestrutura fala sobre ferry boat
Secretário afirma que situação do ferry boat "vai normalizar" (Foto: Ilustração/ Rodrigo Felix Leal/ SEIL)

20 de abril de 2021 - 13:08 - Atualizado em 20 de abril de 2021 - 13:14

Em entrevista concedida na manhã desta terça-feira (20) para a rádio Jovem Pan, do Grupo RIC, o secretário de Infraestrutura do Estado do Paraná, Sandro Alex, falou sobre a demora na travessia do ferry boat da Baía de Guaratuba, sobre como está o andamento do pedágio e também sobre o banco de projetos do Governo do Estado.

Na noite desta segunda-feira (19), a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) solicitou informações ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) com relação ao tempo de espera para embarque nos ferry boats de Guaratuba, no Litoral do Paraná.

Conforme a Agepar, usuários relataram filas de veículos para a travessia no final de semana e espera de até 2h30 para o embarque. Com a empresa antiga que estava em operação no local, a espera não chegava a 15 minutos em dias úteis fora da temporada.

Na sexta-feira (16), tempo de espera foi de cerca de 2h para a travessia (Foto: Rodrigo Morosini/ Agepar)

Ao ser questionado sobre o fato, o secretário relatou que a demora ocorre devido à mudança de empresa e acalmou a população, dizendo que uma fiscalização está sendo feita e que, em breve, o serviço deve ser normalizado.

“Na verdade, houve um novo contrato e depois de décadas essa empresa entrou. Só que claro, no primeiro mês de operação, a empresa que estava operando desligou todos os seus serviços, todo o seu trabalho, e foi embora, para que a nova empresa entrasse. Então nos primeiros dias, essa nova empresa está também tendo que fazer todo o trabalho para começar a sua operação. Mas nós estamos fiscalizando e ela vai normalizar nas próximas horas e nos próximos dias. É porque houve um rompimento.”

Explicou Sandro Alex.

Sandro Alex afirmou que a mudança de empresa contratada foi para melhorar a prestação de serviços e que uma nova balsa deve ser incorporada às operações assim que tiver autorização da Marinha.

Pedágio

Durante a entrevista, o secretário também foi questionado sobre o pedágio no Paraná e reafirmou que a intenção do Governo do Estado é diminuir as tarifas e ter mais transparência em todo o processo. A expectativa é de que os preços dos pedágios possam ficar até 70% mais baratos para os motoristas.

“Nós vamos ter uma grande redução na tarifa. No modelo que o Governo do Paraná está colocando para o Governo Federal junto com o setor produtivo, nós vamos ter e não abrimos mão de uma grande redução. Porque esses 16% [de redução na tarifa prevista inicialmente] que é colocado, também já não é verdade. O valor que o próprio Ministério apresentou à sociedade, ele já tem variação de até 67% de tarifas menores do que as atuais […]. Então a redução já seria grande, mas mesmo assim o Estado do Paraná entende que não é o modelo correto, que não deveria haver uma limitação da bolsa [de valores].” 

Descreveu Sandro Alex.

A ideia é colocar a licitação na Bolsa de Valores, para que o mercado possa disputar as concessões dos pedágio paranaenses com mais transparência.

Banco de projetos

Cerca de um ano e meio após o lançamento do banco de projetos do Governo do Estado, que previa a aplicação de R$ 350 milhões em obras de reestruturação de rodovias, ferrovias e da segurança pública, Sandro Alex comentou sobre o andamento do projeto.

“Nós já temos um valor estimado em R$ 213 milhões [de investimentos], entre obras, não só na infraestrutura, mas também na segurança pública, e outras obras que são prioritárias dentro das ações do governo Ratinho Júnior. Nós conseguimos também otimizar esse dinheiro, porque o Governo atuou com o setor produtivo, onde as cooperativas e as entidades também podem fazer doação de projetos. Então nós conseguimos avançar sem o recurso público também”. 

Relatou o secretário.

Ainda conforme o secretário, algumas obras já estão em andamento em diferentes fases, de abertura de licitações até ordens de serviço e isso também tem impactado na economia e na geração de empregos de forma direta e indireta.

“O Paraná tem um volume tão grande de obras que nós conseguimos fazer com que o Estado tivesse um número de geração de empregos que é líder no Brasil. E muito disso vem da construção […] consequência direta ou indiretamente da Infraestrutura que está sendo aplicada no Paraná. E vai ampliar ainda mais”.

Prometeu Sandro Alex.

Confira a entrevista completa que foi ao ar na Jovem Pan:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.