Notícias

Policial surta e ameaça jogar bomba e explodir prédio em Curitiba

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

27 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 27 de novembro de 2018 - 00:00

O policial mora no 13º andar, no bairro Água Verde, em Curitiba (Foto: colaboração)

Em nota, a Polícia Civil informa que o investigador responde uma investigação preliminar por um processo disciplinar

Na manhã desta terça-feira (26), um policial civil do Paraná sofreu uma crise psicótica dentro do seu apartamento, que está localizado na rua Guilherme Pugsley, no bairro Água Verde, em Curitiba.

Atualização do caso

No momento, todo o trânsito da região está bloqueado, pois a área foi isolada pela Polícia Civil e Militar do Paraná.

Segundo informações apuradas pelo repórter Tiago Silva, da RICTV, a família do policial reside no norte do Paraná, e a mãe do homem já foi contatada e está vindo a Curitiba para ajudar o filho.

Dois investigadores responsáveis pelo caso estão no prédio tentando conversar com o homem para convencê-lo a entregar a arma e buscar tratamento em um hospital. A namorada do policial, que também está no local, aguarda junto a polícia uma tentativa de aproximação.

O Samu e diversos carros da polícia estão no local (Foto: colaboração)

No prédio, moradores relataram que gritos e palavras de baixo calão foram ouvidas durante a madrugada. Matheus, um dos vizinhos do policial, relatou que muitos barulhos de móveis e itens domésticos sendo quebrados na manhã desta segunda, antes de sair do local para ir a faculdade.

Policial não fazia uso da arma da instituição

De acordo com informações da polícia, o homem não fazia mais o uso da arma da instituição, mas teria outro registro em seu nome – o que usa no momento para fazer ameaças de tirar a própria vida.

O homem, que seria lotado na Delegacia de Piraquara, pode estar sofrendo essas crises por conta do trabalho, que é bem intenso na região. Para a polícia, a situação ficou ainda mais crítica quando o policial ameaçou explodir o prédio com uma bomba.

No momento, a residência segue isolada, e nenhum morador está permitido a entrar em casa por medidas de segurança.

Na região, todo o trânsito está bloqueado, pois a área foi isolada pela Polícia Civil e Militar do Paraná.

Imagem da janela da residência do policial que sofre de surto psicótico (Foto: Ricardo Vilches, da RICTV)

Crise há 15 dias

De acordo com a polícia e testemunhas, o policial teria sofrido outra crise psicótica há aproximadamente 15 dias, e teria, inclusive, atirado contra a sua própria perna.

Imagem do local há aproximadamente 15 dias (Foto: colaboração)

Nota oficial da Polícia Civil

Em nota, a Polícia Civil informa que o investigador responde uma investigação preliminar, um processo disciplinar e uma comissão de sindicância de estágio probatório. Sobre o episódio desta terça-feira (27/11), o caso está sendo acompanhando pela Corregedoria-Geral e o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope).

O fato será analisado a eventual prática de crime que será formalizado pela Corregedoria. A arma oficial e o conjunto documental já haviam sido recolhidos em situação anterior.

Vale ressaltar também que a Corregedoria da Polícia Civil está formalizando o ato de suspensão de suas atividades policiais por 90 dias até a apuração do caso.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.