Notícias

Polícia prende três suspeitos de participação na morte de investigador no Parolin, em Curitiba

Vítima estava de plantão em uma viatura descaracterizada quando foi executado

Guilherme
Guilherme Becker / Editor reportagem RIC Record TV Curitiba
Polícia prende três suspeitos de participação na morte de investigador no Parolin, em Curitiba
Wagner era investigador da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) (FOTO: REPRODUÇÃO/ RIC RECORD TV)

13 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:47

A Polícia Civil prendeu três pessoas por suspeita de envolvimento no assassinato do investigador Wagner Silva Campos, de 40 anos, ocorrido na madrugada deste sábado (11) no bairro Parolin, em Curitiba.  Os dois homens e uma mulher foram detidos na noite do domingo (13), mas um quarto suspeito, apontado como o responsável pelos tiros que vitimaram o policial, está foragido. 

“Já estão presas três pessoas que participaram desse fato, através de prisão temporária, e nós estamos procurando um quarto elemento também envolvido nessa morte”, explica a delegada Camila Cecconello, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O crime

O investigador da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) foi atingido por vários disparos de arma de fogo quando passava de carro, em uma viatura descaracterizada, pela rua Professor Rubens Elke Braga, local conhecido como ponto de venda de drogas. Ferido, o policial perdeu o controle do veículo e bateu contra o muro de uma residência

“Eu escutei o barulho, os tiros, eu estava deitado, acordei meio assustado, quando saí na porta já tinham parado os tiros. No que eu cheguei, o carro ainda estava funcionando e o rapaz caído do lado do carro”, contou o proprietário da casa, José Rodrigues.

Uma ambulância do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi até o local, porém o policial já estava morto. Neste domingo (12) foi realizado o enterro de Wagner.

Companheira de suspeito foragido revela detalhes do dia do crime

Nesta segunda-feira (13) a equipe da RIC Record TV foi até o local onde teria tido início a confusão. De acordo com a mulher do quarto suspeito, que ainda está sendo procurado pela polícia, o investigador foi até o local no sábado (11) para comprar drogas.

“Ele veio comprar cocaína. A Patrícia (suspeita detida) vendeu umas três, quatro vezes para ele já. A Patrícia é irmã do Liverson (suspeito foragido) e ela é usuária de droga também, então ela ia, buscava em algum lugar e dividia para os dois, tirava o dela e dava o resto para o homem (policial)”, relatou a companheira do homem que segue foragido da polícia.  

A mulher do suspeito ainda revelou que o crime aconteceu quando o policial retornou pela segunda vez ao local. Na primeira vez, o policial estava acompanhado de uma mulher. Mais tarde, quando retornou sozinho houve a execução. Segundo a mulher, Wagner foi assassinado porque um dos suspeitos queria roubar a arma do policial.

Confira mais informações: