Notícias

Policiais são presos durante operação contra o tráfico de drogas na Grande Curitiba

Segundo as investigações, os policiais são suspeitos de acobertarem o tráfico de drogas; outras 17 pessoas presas

Caroline
Caroline Berticelli / Editora

13 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:04

Seis policiais militares foram presos durante uma operação contra o tráfico de drogas na Grande Curitiba, deflagrada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) e Polícia Militar (PM), na manhã desta sexta-feira (13). 

Os policiais são investigados por suspeita de integrarem organização criminosa e por acobertarem o tráfico de drogas, mediante pagamento em dinheiro. Os demais 23 alvos, que seriam todos traficantes, tiveram as ordens de prisão decretadas pela 6ª Vara Criminal da Capital, que também autorizou 31 buscas. 

“Começamos a investigação com o intuito de coibir o tráfico de drogas na região sul,então, começamos investigar as pessoas civis que faziam o tráfico e ao longo da investigação surgiram os nomes de policiais militares. Foram presos hoje seis policiais militares, demonstrou-se também a participação de um ex-policial militar, que está no estado de Santa Catarina, e o filho dele também participa dessa organização criminosa”, explicou o coronel Hudson Leôncio Teixeira, comandante do 1º Comando Regional da PM (1º CRPM).

Ao todo foram cumpridos 29 mandados de prisão, seis deles contra policiais militares. Segundo o MP-PR, também foram realizados mandados de buscas e apreensões em:

  • Curitiba;
  • Campo Largo;
  • Araucária;
  • Santa Catarina. 

Operação Carnívoro

A Operação Carnívoro investiga, desde março de 2019, suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas na Cidade Industrial de Curitiba, especificamente nas vilas Caiuá e Resistência.

De acordo com a Polícia Militar do Paraná, a organização criminosa atuava com a conivência e apoio dos agentes públicos que costumavam informar, inclusive, os dias de trabalho dos policiais militares honestos

O policial do quartel, ele passava as escalas para os traficantes da região, demonstrando qual que era o dia mais tranquilo para que eles fizessem o tráfico ou qual dia não era viável. Os outros policiais foram presos por facilitar o tráfico de drogas ou por fazer vistas grossas ou por cobrar propina para não fazer prisão”, disse ainda o coronel Hudson.

A operação apurou também que um policial civil e homem que se passava por policial civil cobravam valores da organização criminosa para que traficantes não fossem presos. 

Em nota, a PM-PR ressaltou que “não compactua com os desvios de conduta, de qualquer um de seus agentes. Portanto, envida todos os seus esforços para retirada destes maus profissionais de seus quadros”. 

*Com informações do Ministério Público do Paraná e Polícia Militar do Paraná

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.