Notícias

Policiais apreendem 235 ratos mortos antes de serem comidos em ritual de paz ​​da máfia

O lanche é conhecido por ser o favorito do poderoso clã da Máfia Ndrangheta da Calábria

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Policiais apreendem 235 ratos mortos antes de serem comidos em ritual de paz ​​da máfia
Foto: Pixabay

17 de outubro de 2021 - 19:03 - Atualizado em 17 de outubro de 2021 - 19:08

Policiais italianos apreenderam centenas de ratos da máfia local, que mantinha os roedores para comê-los como parte de um bizarro ritual de paz. Três pessoas foram presas durante a operação. 

De acordo com o Daily Stars, os ratos foram encontrados depois que os policiais invadiram uma fazenda de cannabis no sul da Itália. Além das carcaças que estavam em um congelador, havia inúmeras gaiolas cheias de arganazes, que estavam sendo engordados para o abate. 

O lanche é conhecido por ser o favorito do poderoso clã da Máfia Ndrangheta da Calábria, que o serve aos convidados em jantares de reconciliação.

“Quando a polícia ouviu os telefonemas da máfia durante as investigações sobre o narcotráfico, ficou sabendo que depois de disputas entre clãs fazem jantares pacíficos onde comem arganazes”,

revelou Giovanni Malara, fundador do grupo anti-caça furtiva Gruppo Adorno.

Apesar de ser ilegal capturar ou comer arganazes, o roedor é visto como uma iguaria em algumas áreas do sul da Itália. Alguns restaurantes deixam deliberadamente sua cauda fofa e característica intacta, para que os clientes possam saber o que estão comendo.

O jornal italiano Corriere della Sera já noticiou que os chefões da empresa criminosa ‘Ndrangheta’ tomam suas maiores decisões enquanto se empanturram de arganazes.

Eles costumam ser capturados para comer após o inverno, quando ainda estão sonolentos pela hibernação. Os caçadores às vezes tiram arganazes jovens dos ninhos e os criam até que possam ser servidos como alimento.