Notícias

Polícia prende um dos suspeitos de matar filho de ex-vereador

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

16 de junho de 2016 - 00:00 - Atualizado em 16 de junho de 2016 - 00:00

Crime aconteceu na noite de quarta-feira (15). Adolescente de 15 anos foi morto em casa. Pai do jovem também foi baleado e continua na UTI

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quinta-feira (16) um dos suspeitos envolvidos na morte do filho de um ex-vereador de Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro do Paraná. O outro homem que participou do latrocínio já foi identificado como Mikon Kaike Fasutino da Silva, de 18 anos. A polícia já começou as buscas para prendê-lo. O ex-vereador Edson Cudik também foi baleado e está internado em um hospital da cidade.  

O crime

O crime aconteceu na noite de quarta-feira (15) no distrito do Monte Real, quando dois homens encapuzados entraram na casa do ex-vereador. Assim que a dupla chegou, encontrou o filho de Cudik, de 15 anos, que estava saindo de casa para dormir na casa da avó. O adolescente foi rendido e levado para dentro da residência, onde acabou sendo baleado e morreu ainda no local.

Ao se deparar com os criminosos, o ex-vereador reagiu. Durante a briga, tiros foram disparados e ele também acabou baleado. Um dos assaltantes ficou ferido e, durante a luta corporal, acabou deixando cair o capuz. Foi nesta hora, que a mulher de Cudik conseguiu ver o rosto de Mikon. 

Buscas

Após receber informações sobre os suspeitos, os policiais foram até a residência de Mikon. De acordo com o delegado Tristão Antônio Borborema de Carvalho, na casa dele foram identificadas manchas de sangue que poderiam ser do criminoso. “Recolhemos amostras do sangue para exames futuros. Os familiares dele foram bastante hostis com os policiais. Conseguimos uma foto do Mikon e levamos até a esposa do ex-vereador que o reconheceu na hora como sendo um dos envolvidos no latrocínio”, explicou o delegado.

Horas depois, a polícia chegou até a casa de Wesley Francisco da Silva, de 19 anos, que seria o segundo homem a ter participado do crime. Ele foi levado para prestar depoimento na delegacia e lá também foi reconhecido pela esposa de Cudik por causa das tatuagens. “Ele foi preso em flagrante e vai responder pelo crime de latrocínio”, diz Tristão.

Wesley Francisco da Silva negou participação e alegou estar em casa na hora do roubo. No entanto, explica o delegado, a namorada dele afirmou que Wesley teria dito nesta madrugada que tinha matado um homem. Além disso, uma mensagem no celular da namorada mostra que Wesley chegou em casa depois do crime – o que contradiz a versão dele.

Tanto Mikon quanto Wesley já haviam sido detidos quando eram adolescentes. Mikon por tráfico de drogas e Wesley por homicídio.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.