Notícias

Polícia prende suspeito de matar e queimar morador de rua em Curitiba

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

22 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 22 de fevereiro de 2019 - 00:00

O homem é suspeito do homicídio bárbaro que vitimou Jossimar Aparecido Inácio (Foto: Polícia Civil)

Segundo a Polícia Civil do Paraná (PCPR), o homem é suspeito de planejar o crime, já que horas antes foi flagrado por câmeras de segurança efetuando a compra de 700ml de álcool em um posto de combustíveis; veja!

O homem suspeito de matar o morador de rua Jossimar Aparecido Inácio, de 48 anos, no dia 21 de janeiro de 2019, foi preso pela Polícia Civil do Paraná (PCPR) na última segunda-feira (18). Conhecido como “sorriso”, o suspeito tem 30 anos e foi flagrado por imagens de câmeras de segurança comprando o álcool que usaria para queimar a vítima horas antes do crime. 

Crime premeditado 

De acordo com informações do delegado Tito Barichello, o suspeito parecia já premeditar o crime, que teria sido executado por conta de um desentendimento por uma disputa que tinham pelo ponto de cuidador de carros. “De forma organizada e querendo matar a vítima, ele agrediu a vítima com um pedaço de pau, um instrumento contundente, causando feridas contusas. Com a vítima desacordada, ele o enrolou em um cobertor e com os 700 ml de álcool, ele, por incrível que pareça, de forma hedionda, jogou o álcool sobre a pessoa e a queimou. Não sabemos se foi queimada viva, ou não, isso vai depender ainda da perícia”, explicou o delegado. 

Barichello afirmou ainda que em um primeiro momento o suspeito negou a autoria, mas que logo mudou de atitude após ver as provas e imagens levantadas pela polícia. “Primeiro ele disse que não tinha comprado o álcool, que não tinha ido ao posto, e quando apresentamos todas as provas, provas testemunhais e imagens, ele resolveu confessar e contou que entrou em atrito verbal com a vítima e – diz ele – que, para se defender, acabou matando o homem”. Além disso, o delegado afirmou que o suspeito não conseguiu explicar como em momento anterior adquiriu o álcool para queimar a vítima.

Homicídio triplamente qualificado

Segundo o delegado, o crime ficou ainda mais grave pelo uso do fogo e pela traição, já que os dois se conheciam. “Será um homicídio, possivelmente, triplamente qualificado que o investigado vai responder. Mas mais importante que isso é a resposta que a Delegacia de Homicídios está dando para a sociedade, mostrando que aquele que pratica um crime, aquele que pratica um homicídio, vai ter uma consequência penal”.

Passagem pela polícia

O suspeito do crime já possuía passagem pela polícia pelo crime de roubo. “Segundo informações da nossa investigação “Sorriso” agiu sozinho. Ele matou a vítima de forma hedionda, de forma grotesca e, por incrível que pareça, como já foi dito no momento anterior, colocou fogo na vítima que talvez tenha sido queimada viva”, finaliza Barichello. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.