Notícias

Polícia de Belarus prende dezenas durante protesto contra Lukashenko

Reuters
Reuters

26 de setembro de 2020 - 12:24 - Atualizado em 26 de setembro de 2020 - 12:24

Por Andrei Makhovsky

MINSK (Reuters) – As forças de segurança de Belarus detiveram dezenas de manifestantes neste sábado, enquanto uma multidão se reunia no centro de Minsk acusando o presidente Alexander Lukashenko de fraude na eleição do mês passado.

Um grupo de mulheres gritava “Nosso presidente é Sveta!” –referindo-se ao político da oposição Sviatlana Tsikhanouskaya, que muitos dizem ter ganho a disputa eleitoral– antes que a tropa de choque arrastasse muitos deles para vans. Outros manifestantes foram presos nas proximidades.

Belarus, uma ex-república soviética intimamente aliada com a Rússia, tem sido abalada por protestos de rua em massa desde que Lukashenko disse ter obtido uma vitória esmagadora na eleição de 9 de agosto.

Ele negou ter fraudado a eleição e rejeitou as acusações da oposição sobre prisões em massa e abusos, que qualificou como uma campanha de difamação do Ocidente.

Neste sábado, um vídeo nas redes sociais mostrou a polícia prendendo Nina Baginskaya, uma mulher de 73 anos que se tornou uma figura central do movimento de protesto depois de brigar com a polícia no mês passado.

O vídeo mostra um policial mascarado do batalhão de choque arrancando uma bandeira vermelha e branca das mãos de Baginskaya antes de arrastá-la para uma van.

Os manifestantes usam a bandeira que Belarus adotou após a dissolução da União Soviética em 1991, antes de Lukashenko restaurar a versão soviética quatro anos depois.

Lukashenko, um ex-gerente de fazenda coletiva de 66 anos, foi empossado para um sexto mandato na quarta-feira em uma cerimônia realizada sem aviso prévio, que levou milhares de pessoas a tomarem as ruas da capital em protestos.