Mundo dos Pets

Você sabe quantas vezes ao dia deve alimentar o seu pet?

Manter atenção aos horários e também à quantidade das refeições é importante, pois, proporciona uma melhor qualidade de  vida aos animais sem que tenham excesso ou falta de alimentação adequada.

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação Jornalista e diretora do @canaldeestimacao
Você sabe quantas vezes ao dia deve alimentar o seu pet?

2 de setembro de 2020 - 07:57 - Atualizado em 2 de setembro de 2020 - 09:06

Muitas pessoas têm dúvidas quanto aos horários para alimentar seu animal de estimação.

Alguns deixam o dia todo, outros só de manhã ou à noite, mas, na dúvida, a melhor coisa a fazer é procurar um Médico Veterinário de sua confiança. Por isso, eu conversei com o  André Richter, Médico Veterinário e pesquisador da UFPR.

De acordo com ele, o ideal é que cães e gatos sejam, desde filhotinhos, alimentados 3 vezes ao dia e em horários certos. “Dessa forma, além de controlar o intestino, o tutor, se observar o comportamento do seu bichinho de estimação, também poderá saber a hora que ele fará cocô ou xixi, e, assim, poderá ensiná-lo a fazer as necessidades no local apropriado. Essa é uma das vantagens”, ressalta o veterinário.

Pets em apartamento

Para os que moram em apartamentos, Ricther recomenda ainda que, após cada refeição, o responsável pelo animal aguarde cerca de 15 a 20 minutos e o leve para caminhar na rua. “Provavelmente ele já fará o cocozinho e isso serve para filhotes, desde que já estejam devidamente vacinados e para os animais adultos”, acredita.

Essa atenção aos horários e também à quantidade das refeições é importante, pois, proporciona uma melhor qualidade de  vida aos animais sem que tenham excesso ou falta de alimentação adequada, explica. “Por isso, os animais devem ser acompanhados por  um médico veterinário. Sabendo o peso dele, por exemplo, você saberá dar a quantidade certa, recomendada pelo fabricante da ração que ele come”.

Alimentação das fêmeas gestantes

Para as mamães, os cuidados devem ser dobrados, pois, ela se alimentam, também pelos filhotinhos que estão dentro do ventre. “Para as fêmeas gestantes o ideal é trocar a ração para uma de filhotes, pois, são mais concentradas para a fase de crescimento. Isso ajudará a produzir leitinho e vai garantir uma boa saúde a ela aos seus filhotinhos”, recomenda.

Animais idosos

Já para cães e gatos idosos, a ração deve ser Sênior, pois é mais “molinha” e não agride os dentes que já estão em decréscimo. Além disso, elas contêm nutrientes a mais para desgastes musculares  e ósseos. “Em todas as fases da vida, é importante respeitar os horários e a quantidade da alimentação”, ressalta.

Se você não estiver em casa o dia todo e só puder dar comida de manhã e à noite ao chegar do trabalho, não tem problema, desde que em quantidades maiores, orienta Ricther. “Você deve seguir as recomendações do fabricante e dividir em duas partes. Agora, água, principalmente para os gatos, deve ser livre o dia todo e em grandes quantidades. Nenhum animal pode ficar sem água”, adverte e finaliza o veterinário.