Mundo dos Pets

Saiba como acalmar os gatos com medo de fogos

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação @paulinemachadooficial
Saiba como acalmar os gatos com medo de fogos

17 de dezembro de 2020 - 19:44 - Atualizado em 29 de dezembro de 2020 - 19:50

Se você tem um membro felino em sua família, veja quais são as medidas que devem ser tomadas para mantê-lo protegido e confortável.

Quando chega a época das festas de final de ano, quem tem cachorro em casa possui uma preocupação em comum: fogos de artifício. Normalmente, esses poucos minutos de celebração deixam os pets estressados.

No entanto, não são apenas os cães que sofrem com esses eventos. Gatos também podem ter medo do barulho. Alguns, inclusive podem ficar traumatizados e passar a apresentar comportamentos agressivos ou apatia.

Existem algumas medidas que podem ser tomadas para evitar que os bichanos estejam expostos a situações que podem gerar um quadro de estresse.

Por que os fogos de artifício podem amedrontar os gatos

Por natureza, os felinos são animais que gostam de rotina e momentos de tranquilidade. Além disso, seu instinto é de controle da situação e domínio. Por isso, quando se deparam com algo que fuja da naturalidade, eles tendem a ficar transtornados.

Mas não é só isso. A sensibilidade auditiva dos gatos é muito mais desenvolvida em relação aos humanos. Isso quer dizer que os sons são ouvidos numa frequência bem mais alta, o que deixa o pet sem reação e capacidade de direção.

Daí a explicação para as fugas e a necessidade de se esconder em um local que forneça segurança para eles. A reação dos pets diante dos fogos de artifício pode variar de acordo com a personalidade de cada um.

Existem aqueles que buscam conforto em lugares mais abafados e escuros, como embaixo de camas, atrás de móveis ou dentro de caixas. Outros podem ficar tão desorientados que começam a miar, sinalizando um pedido de ajuda e proteção.

Como acalmar o felino com medo dos fogos de artifício:

A melhor estratégia para proteger seu pet é prever os fogos de artifício e preparar um ambiente para que ele se sinta seguro e confortável. Dessa forma, você não será pego de surpresa e conseguirá tomar as devidas providências para não estressá-lo.

Garanta que ele esteja seguro: Prepare o ambiente com opções de esconderijo. Providencie caixas, cobertores e deixe as portas dos quartos abertas para que ele possa se esconder.

Você também pode deixar a porta de algum móvel no qual ele tenha costume de entrar entreaberta. Gatos também gostam de lugares altos. Se possível, prepare um esconderijo sobre armários ou prateleiras.

Assim que ele se acomodar no esconderijo, coloque algum objeto familiar para que ele sinta que aquele é seu território. Pode ser um brinquedo, almofada ou um cobertor no qual ele tem costume de deitar.

Neutralize o barulho: Para evitar que ele esteja exposto ao ruído gerado pelos fogos, faça com que ele perceba sons que são familiares. Ligue a TV, coloque uma música ou proporcione qualquer som que o faça tirar o foco dos fogos.

Mantenha o pet distraído: Pode ser que o pet te procure para te pedir proteção. Dê carinho, não demonstre apreensão e converse com ele naturalmente. Você também pode oferecer petiscos para distraí-lo.

Abafe o barulho externo: Feche portas e janelas para abafar o som que vem de fora. Mas não prenda o pet. Isso pode gerar ainda mais estresse. O importante é que ele tenha mobilidade dentro do espaço.

É importante mencionar que fogos de artifício também podem causar acidentes. Por isso, é melhor deixar seu amigo dentro de casa para evitar que ele seja atingido pela pólvora.

Tire os obstáculos que podem machucá-lo: Quando começam a ouvir o barulho dos fogos, os gatos podem correr aleatoriamente. Para evitar que seu amigo se machuque, deixe o ambiente livre de qualquer obstáculo que possa feri-lo caso ele tropece.

Deixe comida e água perto do pet: Coloque os recipientes próximos ao esconderijo e deixe que ele se sinta seguro o bastante para comer e beber. Não o force a sair do local.

A reação de medo do pet diante do ruído dos rojões é totalmente normal. O que você precisa fazer é garantir que ele passe pela situação sem maiores problemas.

No entanto, se você notar que o comportamento do seu amigo esteja fugindo do controle, procure uma clínica veterinária. O profissional especialista em comportamento felino saberá orientar acerca das ações que devem ser realizadas para diminuir o estresse e a ansiedade.

Fonte: Segs

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.