Mundo dos Pets

Outubro rosa:em 85% dos casos cadelas e gatas desenvolvem câncer maligno

Os sintomas do câncer de mama em cadelas e gatas variam de acordo com cada animal, nos quais os mais comuns são: dor, feridas, inapetência, vômitos, desânimo, além de nódulos e inchaço nas mamas.

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação Jornalista e diretora do @canaldeestimacao
Outubro rosa:em 85% dos casos cadelas e gatas desenvolvem câncer maligno

21 de outubro de 2020 - 00:00

Outubro Rosa, campanha mundial de conscientização para a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama nas mulheres, também busca alertar os tutores de cadelas e gatas sobre a doença nos pets, visto que esse tipo de câncer é o mais comum nesses animais.

Dados do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) revelam a alta incidência da doença nos animais de estimação: cerca de 45% das cadelas e 30% das felinas desenvolvem algum tumor, sendo que 85% são de caráter maligno.

“As causas do câncer de mama em cadelas e gatas estão relacionadas com o uso de anticoncepcionais, com a obesidade e também com uma alimentação não balanceada. Além disso, muitos animais não são castrados – o que aumenta o número de casos, visto que a castração precoce, aquela que ocorre antes do primeiro cio (cerca de seis meses de idade), é uma forma eficiente de prevenir alguns tipos de câncer”, explica a veterinária da Nutrire, Luana Sartori.

Diagnóstico tardio

A médica alerta que quase 20% dos tumores nas fêmeas são diagnosticados muito tarde, o que prejudica as chances de sobrevivência. “É por esse motivo que a visita constante ao veterinário é tão fundamental para a vida desses bichinhos. Somente o check-up feito regularmente pode detectar o problema mais cedo e garantir a chance de um tratamento mais eficiente”, revela.

Sintomas e tratamento

Os sintomas do câncer de mama em cadelas e gatas variam de acordo com cada animal, nos quais os mais comuns são: dor, feridas, inapetência, vômitos, desânimo, além de nódulos e inchaço nas mamas.

“O tratamento vai variar também de acordo com a situação do animal e, claro, com a evolução da doença. A quimioterapia é uma opção eficaz, além de causar menos efeitos colaterais nos animais do que nos seres humanos”, explica Luana.

Porém, a especialista alerta que somente o veterinário poderá prescrever o melhor caminho. “Lembre-se que amor e carinho são remédios infalíveis para qualquer problema, mas o acompanhamento médico é o que trará os efeitos mais importantes para a saúde do seu pet. Quem ama cuida e faz check-up todos os anos”, garante a veterinária.

Fonte: https://www.acritica.com/

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.