Mundo dos Pets

Compartilhar o quarto com o pet pode beneficiar a ambos

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação Jornalista e diretora do @canaldeestimacao
Compartilhar o quarto com o pet pode beneficiar a ambos

9 de fevereiro de 2021 - 00:05

Um estudo realizado pelo Centro do Sono da Clínica Mayo, em Scottsdale, Arizona (EUA), e que foi publicado na revista Mayo Clinic Proceedings, deixou os seguintes dados como conclusão:

Foram 150 participantes do estudo. Desses, 74, ou seja, 49%, disseram que tinham animais de estimação, 56% deixaram os animais de estimação dormirem com eles no quarto. Cerca de 15 donos de animais de estimação (20%) relataram que, para eles, foi contraproducente compartilhar quarto, enquanto 31 dos participantes (41%) qualificaram a presença de seus animais de estimação como benéficos na hora de dormir.

Como já disse, há pessoas que não se sentem beneficiadas por seus animais de companhia partilharem o quarto com eles. Isto deve-se possivelmente ao fato de os cães ou os gatos poderem chegar a ter atividade noturna (levantar-se, ladrar, ou até mesmo miar para que lhes abram a janela e saiam).

Em vez disso, outras pessoas sentem muito mais favorável e benéfico a companhia de seus animais de estimação enquanto dormem. Para eles, é igual a dormir tranquilos, despertar sem sentir ansiedade, estresse, tristeza ou solidão.

Precauções ao compartilhar quarto ou dormir com seu animalzinho (cão ou gato)

Estas são as recomendações mais comuns que você encontrará:

1 Tente arejar muito bem o seu quarto todos os dias.

2 Da mesma forma, limpar completamente os pisos, e se possível mudar os lençóis, cobertores e roupa de dormir muito frequentemente.

3 Banhar o seu cão pelo menos a cada 15 dias.

4 Se for alérgico ou tiver asma, é melhor evitar que o seu animal de estimação durma na sua cama ou no seu quarto.

5 Vermifugue-o com frequência.

6 Confira se ele tem todas as suas vacinas em dia e leve-o ao veterinário regularmente.

Todas essas recomendações são necessárias para evitar que algumas doenças que o seu animal pode sofrer possam afetá-lo a curto, médio ou longo prazo.

Fonte: Erika Otero Romero / familia.com.br

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.