Mundo dos Pets

Como cães e gatos

Será que as pessoas que convivem com cães e gatos absorvem suas características e passam a ter comportamentos parecidos com os deles?

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação Jornalista e diretora do @canaldeestimacao
Como cães e gatos

6 de agosto de 2020 - 12:15 - Atualizado em 31 de agosto de 2020 - 08:25

Resumo da matéria

  • Será que as pessoas que convivem com cães e gatos absorvem suas características e passam a ter comportamentos parecidos com os deles?

Aqueles que me conhecem sabem da minha paixão pelos animais, em especial pelos gatos, com quem tenho o imensurável prazer em dividir o meu espaço.

E, para estrear esta coluna, escolhi relembrar uma experiência que tive quando, em certa ocasião, minha mãe e minha avó foram morar comigo e com elas, também os cachorros da mamys. Foi então que observei de perto as diferenças e semelhanças entre cães e gatos.

Eu havia me mudado de Fortaleza para Curitiba e trouxe os meus dez gatos comigo. Essa não foi a primeira mudança que fiz com eles, mas, em todas as vezes que chegamos à casa nova, o comportamento deles mudava da água para o vinho. É muito interessante observar como é o processo de adaptação dos animais.

Diferenças de comportamento

Meses depois minha mãe chegou com vovó e os cães. Na casa nova, os gatos se assustam por qualquer coisa, enquanto os cães chegam como se nada estivesse acontecendo.

Os gatos andam com atenção redobrada, como se estivessem pisando em ovos, com o faro aguçado, orelhas atentas e olhos arregalados. Já os cães, correm pelo quintal, assustam os gatos com seus latidos, demarcam o território e depois caem em um sono profundo e tranquilo.

Os gatos precisam de um pouco mais de tempo para se adaptarem, precisam se sentir seguros no novo local e apesar do amor pelos seus humanos de estimação, poucas vezes precisam da presença de alguém por perto. Preferem ficar sozinhos, no tempo deles, até se sentirem à vontade, ao contrário dos cachorros, que necessitam constantemente da presença do “dono” ao seu lado para se sentirem seguros e felizes.

Os gatos são elegantes, lançam olhares indiferentes, que nos desconcentram, ao mesmo tempo que demonstram extrema alegria e gratidão com seus ronronados encantadores, e apesar das perninhas finas, dos “buchões” enormes e de não terem bumbum, ainda assim são tidos como sinônimos de beleza em homens e mulheres.

Em contrapartida, os cães, ou pelo menos a maioria deles, possuem um corpo bonito, proporcional, porém perdem na elegância – geralmente são desajeitados, mas por outro lado, nos lançam um olhar lindo que transmite um amor incondicional e gratidão profunda. Aqueles humanos que conseguem entender o significado desse olhar, certamente nunca o esquece.

Eu poderia continuar enumerando outras tantas diferenças entre cães e gatos, mas se realmente existe alguma semelhança entre eles, uma eu posso garantir: os gatos são tão bons companheiros do homem quanto os cachorros. Não só garanto como recomendo! Aquela lenda de que os felinos são apegados apenas à casa é balela.

Enfim, fiquei aqui caducando com meus botões sobre a minha relação com os animais e principalmente com os meus gatos e cheguei à conclusão de que realmente tenho a alma felina. Durante todos esses mais de 15 anos  convivendo com eles, aprendi a observar mais, a ser indiferente quando é preciso, a calar, a sorrir, a ceder, a sentir, a me defender, a ser eu mesma e tantas e tantas outras coisas que eles fazem naturalmente.

Semelhanças entre nós e os pets

Diante disso tudo me pergunto: será que as pessoas que convivem com gatos, absorvem suas características, assim como as que convivem com os cães, passam a ter comportamentos parecidos com os deles?

Como nós seres humanos lidamos com a questão do novo, da mudança, do desconhecido – seja um novo emprego, um novo amor, uma nova casa ou até mesmo uma nova amizade?.

Será que nós, tidos como animais racionais, sabemos realmente lidar com as mudanças em nossas vidas tão bem quanto os animais?

Bem, vale a reflexão e boa viagem!