Mundo dos Pets

Chocolate é prejudicial à saúde dos pets

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação @paulinemachadooficial
Chocolate é prejudicial à saúde dos pets

1 de abril de 2021 - 22:30

Com a proximidade da Páscoa e do inverno, aumenta o consumo de chocolate das famílias. Um pedaço de chocolate é inofensivo para os humanos, mas pode ser um veneno para os pets. Quem faz o alerta é a DrogaVET, explicando que, na guloseima, há substâncias tóxicas para o organismo dos animais de estimação.

Segundo a veterinária da rede de farmácias de manipulação veterinária, Farah de Andrade, o problema está nas denominadas metil-xantinas, ou seja, na teobromina e na cafeína. “Ambas estão presentes no chocolate e a teobromina é a que possui maior concentração. Elas causam intoxicação tanto em cães quanto em gatos, de qualquer idade, sexo ou raça e, mesmo diante do consumo de pouca quantidade, os organismos dos pets não as metabolizam”, alerta a profissional, reforçando que, por este motivo, os tutores não devem ceder às caras de pidões de seus pets.

As substâncias podem ficar por até seis dias no organismo do pet e, quando intoxicados, tendem a sofrer com vômitos, diarreia, excitação, tremores, taquicardia, febre, aumento da ingestão de água e volume urinário. “A substância contida no chocolate gera o aumento do estímulo cerebral e da atividade cardíaca, podendo acarretar arritmias. Porém, os sintomas dependerão da porcentagem de cacau contida no chocolate e da quantidade ingerida. Eles geralmente iniciam de forma leve e vão intensificando no decorrer do tempo de exposição, podendo causar pancreatite, convulsões, comprometimento neurológico e até levar à morte em decorrência das alterações cardíacas, insuficiência respiratória e hipertermia”, ressalta a veterinária.

O que fazer se o pet comer chocolate?

Caso o cão ou gato tenha ingerido chocolate, Farah explica que a primeira coisa a ser feita é procurar orientação veterinária rapidamente. “E, caso o tutor saiba, é recomendado informar ao profissional a quantidade e o tipo de chocolate ingerido, para que possam ser definidos os protocolos para o tratamento”, detalha a veterinária.

O tratamento é baseado em cada caso, de acordo com os sintomas apresentados pelo animal. “Geralmente, eles precisam passar por uma lavagem gástrica para reduzir a exposição e absorção das substâncias e receber medicações para proteção gástrica e hepática. Se o cão comeu uma grande quantidade de chocolate, em um período recente, é provável que o médico veterinário o induza ao vômito. Mas tudo vai depender do quadro do animal no momento do atendimento”, explica a profissional. Na maioria das vezes o animal precisa tomar medicações para o fígado e estômago por algum tempo e, nesses casos, é possível manipular em formas farmacêuticas e sabores de preferência do pet para facilitar o tratamento.

Outro alerta dado pela veterinária é que não se deve fornecer leite de vaca para cães e gatos. “Eles são mamíferos, entretanto existem diferenças nas composições do leite de vaca para o das cadelas e gatas. Cada sistema digestório é adaptado para consumir seu leite correspondente e, uma vez que são desmamados, o organismo dos pets passa a produzir pequenas quantidades da lactase, sendo insuficiente para quebrar toda a quantidade de lactose presente no leite de vaca”, comenta Farah, informando adicionalmente que ele traz malefícios, como: gases, diarreia, desnutrição e também podem levar a óbito.

Opções seguras e saudáveis

Atualmente existem produtos industrializados no mercado personalizados para os pets e até papinhas de ração para os filhotes. Nesse sentido, para agraciar os pets na Páscoa ou no período do inverno, uma opção saudável e segura oferecida pela DrogaVET é manipular biscoitos, pastas ou caldas medicamentosos (como placebo, sem medicamento na fórmula), no sabor chocolate ou de queijo Petit Suisse morango, esse último, lançamento da empresa no cardápio. “Mas o tutor deve levar em consideração o tipo de dieta do animal e a orientação do médico veterinário, evitando excessos”, orienta Farah.

Atualmente existem produtos industrializados no mercado personalizados para os pets e até papinhas de ração para os filhotes. Nesse sentido, para agraciar os pets na Páscoa ou no período do inverno, uma opção saudável e segura oferecida pela DrogaVET é manipular biscoitos, pastas ou caldas medicamentosos (como placebo, sem medicamento na fórmula), no sabor chocolate ou de queijo Petit Suisse morango, esse último, lançamento da empresa no cardápio. “Mas o tutor deve levar em consideração o tipo de dieta do animal e a orientação do médico veterinário, evitando excessos”, orienta Farah.

Outros sabores procurados nessa época do ano são: morango, doce de leite, baunilha e banana. “Os tutores podem manipular os medicamentos dos pets não só como biscoitos, pastas e caldas, mas também como filme oral, molhos, xaropes e suspensões, e é possível fazer diferentes combinações, mesclando, por exemplo: morango com leite condensado, banana com doce de leite (banoffe), chocolate com cereja (floresta negra), frutas vermelhas com doce de leite, entre outras que a criatividade permitir”, finaliza a veterinária.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.