Notícias

Paranhos se diz confiante na retirada de pedágio entre Cascavel e Toledo

Leonaldo Paranhos esteve em Brasília e conversou sobre o assunto com o presidente Jair Bolsonaro ele deu detalhes sobre os “bastidores”

Aline
Aline Cristina / Repórter
Paranhos se diz confiante na retirada de pedágio entre Cascavel e Toledo

26 de agosto de 2021 - 10:27 - Atualizado em 26 de agosto de 2021 - 10:49

Em entrevista nesta quinta-feira (26) no Jornal da Manhã Paraná, da Jovem Pan, o prefeito de Cascavel Leonaldo Paranhos falou sobre a conversa que teve com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, sobre a praça de pedágio entre Cascavel e Toledo, no Oeste do Paraná.

Segundo o prefeito, Bolsonaro tem recebido várias demandas em relação à praça que está causando um movimento intenso entre as duas cidades. 

“Ele relatou que esse estudo está no Ministério da Infraestrutura, com o Ministro Tarcísio Gomes de Freitas. Eu não voltei com a resposta de sim ou não, mas nós acreditamos que será possível tirar a praça entre Cascavel e Toledo

Leonaldo Paranhos – prefeito de Cascavel

O presidente afirmou ao prefeito que vai conversar novamente com o Ministro Tarcísio Gomes para verificar como está o andamento do processo.

O estudo prevê, que com a retirada da praça entre Cascavel e Toledo, o valor que seria arrecadado nesta praça, poderia ser diluído entre as outras praças para que assim, não houvesse um prejuízo, em relação ao lote do pedágio.

“ A conta do pedágio é lamentavelmente isso; eles fazem o lote e veem onde já tem estrutura e onde não tem.  O conjunto dessa arrecadação é o que determina a quantidade de obras no total. Não é possível aceitar essa incoerência, de duas grandes cidades, Cascavel e Toledo, que tem esse corredor da produção. As pessoas passam por alí, para comprar e transportar a produção”.

Leonaldo Paranhos – prefeito de Cascavel

O prefeito relata que muitas pessoas analisam a situação como partidária, mas esse pleito é feito de forma didática e técnica, para analisar os possíveis problemas a longo prazo.

“ Nós não queremos ficar contra. O movimento quer abrir uma discussão para que possam ser analisadas as perdas em relação a infraestrutura. . Nós estamos justificando, uma estrada já duplicada, 42 quilômetros, onde passa o  escoamento do agronegócio e também corredor da saúde. Diariamente 1.200 pessoas passam pelo local para fazer tratamento oncológico.”

Leonaldo Paranhos – prefeito de Cascavel