Notícias

Paraná conquista status de área livre da febre aftosa sem vacinação

Expectativa é quase dobrar o volume de exportação de carne suína até o fim de 2022, passando das atuais 110 mil toneladas/ano para cerca de 200 mil toneladas/ano

Gabriel
Gabriel Albuquerque / Estagiário Com informações da AEN e supervisão de Giselle Ulbrich
Paraná conquista status de área livre da febre aftosa sem vacinação
Governador Ratinho Junior destaca o reconhecimento internacional concedido ao Paraná como Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação. Foto Gilson Abreu/AEN

28 de maio de 2021 - 07:45 - Atualizado em 28 de maio de 2021 - 14:13

O Paraná consquistou nesta quinta-feira (27) o status de área livre da febre aftosa sem vacinação, após longa luta que durou mais de 50 anos de todo o setor agropecuário do Estado.

Com direito ao certificado internacional da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), a celebração foi virtual, durante a 88ª Sessão Geral da Assembleia Mundial dos Delegados da OIE, em Paris, na França.

Alcançar a chancela que possibilita ao Paraná ganhar ainda mais destaque no mercado internacional de proteína animal constava entre as promessas de campanha de Ratinho Junior. Movimento que avançou na gestão do Estado e virou prioridade dentro da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento durante a simbólica mudança da sede administrativa do Governo para Londrina, em abril de 2019.

“Chegamos ao mais alto grau de qualidade sanitária do planeta, com a garantia de segurança alimentar. Agora todo mundo que quiser falar de comida, terá necessariamente de falar com o Paraná. (…) A certificação é vitória de várias pessoas, públicas ou não, e construída por várias mãos. Há relatos de que a movimentação tenha começado em 1958. Eu tive a honra de poder anunciar a conquista, um prêmio para todo o agronegócio do Paraná”.

Ratinho Júnior, governador do Paraná

Veja a reportagem no Paraná no Ar:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.