Notícias

Papa pede que EUA protejam a democracia e rejeitem a violência após ataque ao Capitólio

Reuters
Reuters

10 de janeiro de 2021 - 12:58 - Atualizado em 10 de janeiro de 2021 - 12:58

CIDADE DO VATICANO (Reuters) – O Papa Francisco pediu neste domingo que os norte-americanos rejeitem a violência e busquem a reconciliação para proteger os valores democráticos, após o ataque em grupo ao Capitólio dos Estados Unidos por apoiadores do presidente Donald Trump que deixou cinco pessoas mortas.

“Eu repito que a violência é auto-destrutiva, sempre. Nada se ganha com a violência, e tanta coisa se perde”, disse o Papa em seu pronunciamento neste domingo.

Foi a segunda vez em que o Papa, que visitou os Estados Unidos em 2015, quando Barack Obama era presidente, falou contra a violência que aconteceu em Washington.

Dezenas de pessoas foram acusadas de invadir o Capitólio na quarta-feira, com o FBI pedindo que o público identifique os participantes, já que houve uma grande proliferação de imagens da invasão na Internet. Entre os cinco mortos está um policial.

“Eu apelo às autoridades do país e para a população inteira que mantenham um senso elevado de responsabilidade para acalmar as coisas, promover a reconciliação nacional e proteger os valores democráticos que estão enraizados na sociedade norte-americana”, disse Francisco.

O Papa disse que gostaria de enviar “uma saudação afetuosa” a todos os americanos cujo país tem sido “chacoalhado pelo recente cerco ao Congresso”.