Brasil

“Reze por sua mãe”, pede Padre Reginaldo Manzotti neste Dia das Mães

Lucas
Lucas Sarzi
“Reze por sua mãe”, pede Padre Reginaldo Manzotti neste Dia das Mães
Foto: Arquivo.

10 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:47

Todos os anos é certo o almoço de domingo, aquele abraço gostoso, o carinho, um presente, o sorriso presente, mas… Não neste ano. Em 2020, talvez pela primeira vez, muitas mães e filhos vão experimentar o gosto da saudade. O sabor da distância e da falta que faz a presença física.

Neste Dia das Mães, todos experimentaremos o prato da esperança, que vai nos nutrir do sentimento de que devemos continuar a lutar e persistir, na espera de que isso tudo passe. Juntos, mas separados.

A pandemia do novo coronavírus afastou mães dos filhos, fez com que os contatos se resumam ao telefone ou à distância. Na certeza que toda a dor deve ser transformada em carinho, padre Reginaldo Manzotti pediu que as mães, indiferente da religião, se espelhem no amor que Maria teve por seu filho, Jesus.

Maria foi um exemplo de mãe, mulher e esposa. Fez da maternidade um dom extensivo da obra de Deus e amou, incondicionalmente, o seu filho em todos os momentos. Então eu peço a todas as mães: sejam um exemplo de Maria. A tempestade vai passar e dias melhores virão, acredite nisso”, disse Reginaldo Manzotti.

Aos filhos, que não terão o abraço, não poderão ver de perto o sorriso da felicidade ao abrir a porta e se sentirão estranhos com um Dia das Mães sem mãe, padre Reginaldo pede que transformem este sentimento de solidão em fé.

“A fé é o combustível para a esperança, para o amor ao próximo, para mantermos o pensamento positivo, para não nos desesperarmos e mantermos a serenidade e a paciência. Se você não poderá estar junto da sua mãe, reze por ela. Peça a Nossa Senhora que interceda por ela”.

dia-das-maes-padre-reginaldo-manzotti 2

“Estar longe é fazer o bem neste momento”, reforçou padre. Foto: Arquivo.

Sem dúvida alguma o domingo de 10 de maio de 2020 ficará marcado na vida de muita gente. Mas o padre destaca o quão importante se faz o respeito às orientações, principalmente para que possamos recuperar esse tempo perdido depois. “Será uma comemoração diferente. É verdade que o almoço em família, aquele abraço carinhoso fazem parte. Mas devemos nos conscientizar com a gravidade do que estamos vivendo e seguir as recomendações sanitárias dos órgãos competentes e claro, o senso comum. Temos que cuidar do próximo e de nós“.

Não coloque quem você ama em risco, neste momento o maior ato de amor que você pode fazer pela sua mãe é se proteger e a proteger”, alertou o padre Reginaldo Manzotti.

mae zeze e luciano 2

Foto: Arquivo.

Distantes sim, mas sem amor, nunca

A certeza que toda mãe carrega dentro de si é que só quer o melhor para seu filho. Na casa da família Camargo, que sempre esteve reunida num dia como este, o coronavírus até fez com que os filhos, netos e bisnetos ficassem distantes, mas o amor… Este sempre se mantém.

Ao RIC Mais, com exclusividade, Helena Camargo, a mãe de Zezé Di Camargo & Luciano, que nós podemos até chamar agora de “dois filhos de Helena“, disse sobre o momento e o quanto seu coração lhe traduz o que todos têm passado. Aos 74 anos, podemos aprender com uma mãe que estará longe dos filhos. Uma matriarca que não pensou nela, mas sim nos demais.

“Eu queria agradecer às mães do nosso Brasil. Porque mãe é força, mãe é amor, mãe é algo muito abençoado. A gente vê uma criança ser gerada dentro da gente, um mistério de Deus“.

familia zeze di camargo e luciano

Familia grande hoje está distante. Foto: Arquivo.

Acostumada com a distância dos filhos por conta do trabalho, Helena sempre esteve próxima pelo menos neste dia do ano, mas em 2020 as coisas não estão sendo nada comuns. Ela, assim como muitas mães Brasil afora, estará distante.

Muitas mães vão estar com os filhos distantes, sem poder abraçar. Mãe, abrace seu filho de longe, passando para ele sua palavra de amor, uma palavra de Deus para que nós possamos entender a vontade Dele em nossa vida. Mãe é quem abençoa“, concluiu Helena.

Marlene Camargo, irmã dos cantores e que é considerada por Luciano como sua segunda mãe, não hesitou em aproveitar a distância para deixar um recado ao seu “manofilho”. A homenagem foi assim: pública e cheia de amor.

Quero te agradecer de todo o meu coração, por tudo que faz e fez por mim. Agradeço por me considerar a sua segunda mãe e dizer que te amo muito, que vou estar sempre aqui, à sua disposição, porque uma mãe nunca deixa um filho”, disse a irmã, que também estará distante neste ano.

Nenhuma distância pode separar o amor de uma mãe

A mãe de Felipe Araújo vai estar com o filho, que ganhou o Brasil com sua simpatia e talento. Mesmo assim, carrega consigo a consciência de que um filho bem maior, o próprio Brasil, precisa que todas as mães o abracem e proporcionem os melhores sentimentos para se disponibilizar neste momento: o cuidado e a responsabilidade para enfrentar o período estranho que estamos vivendo.

Mãe, uma palavrinha pequena, mas de um significado tão sublime. Ser mãe é gerar vida, olha como Deus foi perfeito com nós para sermos instrumentos Dele na Terra. Minha mensagem é para todas as mães, aquelas adolescentes, que têm seu filho tão prematuramente, mas que carregam com honra a missão. Para aquelas mães que têm seus filhos com idade avançada, mas que também conduzem a missão”, disse Neusania Ana Nascimento.

felipe araujo e mae neusania

Foto: Arquivo.

No fim das contas, desde sempre são elas que tudo nos explicam, são elas que tudo nos acalmam, são à elas que recorremos nossas tristezas e dores… Mas o que elas poderiam dizer à nós num momento tão difícil como este? A certeza de todas as mães, neste momento de incertezas, é que tudo isso vai passar.

“Neste dia, em especial, deixo meu abraço para aquelas mães que estão longe de seus filhos, por conta de toda essa situação que estamos vivendo no mundo. Deixo meu abraço, meu carinho e um feliz dia das mães para todas as mães. Estejamos juntos, isso vai passar“, concluiu Neusania.

O que podemos levar de ensinamento de tudo isso?

Essa sensação de “não ter a mãe” por perto ou “não ter o filho ao lado” no Dia das Mães é sentida todos os anos pelas mães e filhos que perderam seus amores. Para o padre Reginaldo Manzotti, com toda a certeza, o maior ensinamento é o de que precisamos ser mais presentes com quem amamos.

Estar presente é participar da vida, ligar, vivenciar. Se você ainda tem essa oportunidade, não a perca. É muito importante zelarmos pela nossa família. Acredito que nesta pandemia todos aprendemos a dar valor as coisas essenciais da vida“, alertou.

E o que dizer num momento como este? Para o padre, que tem levado sua palavra de esperança e fé aos milhares de fieis, é que tenhamos esperança. “Nesse momento de incerteza, tenhamos calma e esperança. Não sabemos quanto tempo essa pandemia irá durar e como será o mundo que ela irá nos entregar. Por isso, precisamos cuidar da nossa saúde física, mental e espiritual“.

O padre reforçou o pedido de que as pessoas cumpram o isolamento social, pois ele, inclusive no Dia das Mães, se tornou o maior ato de amor. “Se você pode ficar em casa, por favor, fique. Busque praticar a caridade para as pessoas em situação de vulnerabilidade, se ofereça a ajudar um vizinho idoso que não tem como ir realizar suas compras. Seja um girassol na vida de alguém, iluminando a vida do próximo através de um gesto de solidariedade“.

Isso vai passar. E a primeira coisa que faremos será correr, mais uma vez, assim como quando éramos crianças, para o colo das nossas mães.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.